for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Australiana Ash Barty permanecerá como número um do tênis em 2020

Australiana Ashleigh Barty faz jogada em partida contra Petra Kvitova 28/02/2020 REUTERS/Ibraheem Al Omari

MELBOURNE (Reuters) - Em um sinal da turbulência do tênis neste ano, a australiana Ash Barty continuará sendo a número um do mundo no final do ano, apesar de ter ignorado dois Grand Slams e de não disputar uma partida desde fevereiro.

A surpreendente derrota de Simona Halep, número dois do mundo, na quarta rodada do Aberto da França diante da adolescente polonesa Iga Swiatek, no domingo, garantiu que Barty seguirá para a segunda temporada consecutiva na liderança.

Barty, de 24 anos, chegou às semifinais do Aberto da Austrália em janeiro, mas desistiu do Aberto dos Estados Unidos e da defesa do título no Aberto da França alegando falta de preparação.

A tenista, no entanto, tem aproveitado o tempo de folga na terra natal.

Enquanto suas rivais lutavam por uma vaga na segunda semana em Roland Garros na sexta-feira, Barty estava no estádio Gabba, torcendo por seu querido time de futebol australiano Richmond Tigers.

Imagens de Barty se levantando no meio da multidão e erguendo o punho enquanto segurava um copo de cerveja na outra mão se espalharam nas redes sociais na Austrália, onde os torcedores a aclamavam como um “verdadeiro ícone”.

“Como não amar Ash Barty”, tuitou um jornalista de futebol local. “Aberto da França ocorrendo e cerveja na mão no futebol. A melhor.”

Reportagem de Ian Ransom

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up