for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Presidente de Federação de Futebol da Bolívia é preso em partida devido a alegações de corrupção

A Bolívia foi goleada pelo Brasil na estreia das eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 09/10/2020 REUTERS/Amanda Perobelli/Pool

LA PAZ (Reuters) - O presidente interino da Federação de Futebol da Bolívia (FBF) foi detido pela polícia durante jogo das eliminatórias da Copa do Mundo contra o Equador na quinta-feira devido a alegações de corrupção, disse um associado.

Policiais à paisana surpreenderam Marco Rodríguez na arquibancada com jogadores que não atuavam no jogo realizado no estádio Hernando Siles de La Paz.

Alguns times e o sindicato de jogadores profissionais da Bolívia acusaram Rodríguez de corrupção e lucro ilegal, além de não ter acatado uma ordem judicial que o obriga a deixar a presidência da FBF.

Várias facções estão disputando o controle da entidade, e votações para escolher o ocupante da presidência entre 2020 a 2022 estão agendadas para esta sexta-feira e o sábado.

“Acreditamos que houve má fé aqui, acreditamos que o objetivo final é não ter uma eleição”, disse Gaston Uribe, diretor-executivo da FBF e associado próximo de Rodríguez.

“A polícia veio com uma comissão especial para apreender Marco Rodríguez”, disse Uribe ao canal de televisão ATB.

Uribe disse que Rodríguez sofreu problemas mentais súbitos quando a polícia tentou transferi-lo de La Paz para a cidade de Santa Cruz para continuar o processo judicial e que ele foi hospitalizado.

O Equador venceu o jogo por 3 x 2 graças a um pênalti no final.

Por Daniel Ramos

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up