13 de Outubro de 2014 / às 14:46 / 3 anos atrás

Técnico Aguirre vai explorar “abundância de talento” do Japão contra o Brasil

CINGAPURA (Reuters) - O novo técnico da seleção do Japão, Javier Aguirre, vai continuar a moldar e alterar as escalações enquanto explora a “abundância de talento” do time para encontrar a melhor combinação de 23 jogadores para a defesa do título da Copa da Ásia, em janeiro.

Técnico do Japão, Javier Aguirre, conversa com jogadores durante treino no Estádio Nacional de Cingapura, na véspera do amistoso com o Brasil. 13/10/2014 REUTERS/Edgar Su

Os japoneses enfrentarão o pentacampeão Brasil em um amistoso em Cingapura na terça-feira, quando o mexicano Aguirre deve fazer seis alterações em sua seleção em relação ao time que venceu a Jamaica por 1 x 0 em casa, na sexta-feira.

Esse foi o primeiro triunfo do técnico, que teve um início complicado desde que assumiu no lugar de Alberto Zaccheroni na esteira da decepcionante eliminação japonesa na fase de grupos da Copa do Mundo neste ano.

O treinador não hesitou em experimentar talentos ainda não testados na estreia com derrota de 2 x 0 para o Uruguai, no empate de 1 x 1 com a Venezuela e no êxito sobre a Jamaica, e mais novos nomes devem entrar em campo antes de o time rumar para a Austrália para a Copa da Ásia.

“Precisamos encontrar os 23 jogadores para o torneio, e até agora me surpreendi encontrando muitos talentos na liga japonesa –- e ainda há mais de 20 jogadores no exterior”, disse o ex-treinador do Atlético de Madri a repórteres nesta segunda-feira.

“Na verdade temos uma abundância de talento, então acho que o tempo é suficiente e que em termos de seleção até agora vai tudo bem, embora os resultados ainda não tenham vindo”.

“(Mas) é exatamente isso que quero, uma situação difícil. Não temos jogos em casa na Copa da Ásia e eu queria um ambiente para lutar, lutar contra um time difícil de derrotar”, acrescentou ele a propósito do enfrentamento com o Brasil.

Uma das seis trocas será Shinji Kagawa, do Borussia Dortmund, que não irá atuar na partida em Cingapura e voltou à Alemanha por causa de uma concussão sofrida após um golpe na mandíbula na disputa com os jamaicanos.

O Brasil, que venceu suas três primeiras partidas desde que voltou a ser comandado pelo do técnico Dunga, incluindo um 2 x 0 sobre a arquirrival Argentina no sábado em Pequim, e ainda não sofreu nenhum gol, tenta se recuperar da constrangedora derrota de 7 x 1 para os alemães na semifinal da Copa.

Aguirre afirmou crer que os brasileiros irão dominar a posse de bola e quer ver seus jogadores pressionarem os adversários melhor depois dos lapsos defensivos nos dois primeiros confrontos do mês passado.

“Usaremos o sistema 4-3-3, como sempre, mas gostaríamos de torná-lo compacto”, disse. “Precisamos tentar manter a defesa a cerca de 40 metros (do gol). Nos últimos jogos acho que talvez tenhamos dado muito espaço no meio (entra a defesa e o meio campo)”.

“O Brasil, desde que Dunga assumiu, fez três de seus quatro gols em jogadas ensaiadas, então precisamos estar atentos”.  

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below