4 de Julho de 2016 / às 22:42 / em um ano

Hamilton torce por corrida real em Silverstone sem interferência da equipe

LONDRES (Reuters) - Lewis Hamilton vai para o Grande Prêmio da Inglaterra rezando, pelo bem dos fãs, para que os irritados chefes da Mercedes continuem a permitir que ele e o colega de equipe Nico Rosberg se enfrentem livremente.

Piloto de Fórmula 1 da Mercedes, Lewis Hamilton, da Inglaterra, celebra vitória no Grande Prêmio da Áustria no dia 3 de julho de 2016. REUTERS/Dominic Ebenbichler

A dupla colidiu na última volta no domingo na Áustria, com o chefe da equipe da Mercedes, Toto Wolff, fazendo ameaças de que iria impor “ordens de equipe” --fazendo com que eles segurassem posições nas fases finais da corrida-- após o que ele chamou de acidente “sem cerébro”.

Uma multidão de 140 mil é esperada em Silverstone no domingo, com a maioria torcendo por Hamilton, que venceu no último ano.

“Você poderia ir a Silverstone e ouvir: ‘não se mexa’. Isso seria o pior”, disse Hamilton a repórteres após vencer a corrida de domingo enquanto Rosberg ficou com a quarta posição, com um carro destruído, e com a sua vantagem na liderança geral reduzida para 11 pontos.

“Eu não entrei nisso para estar nessa posição”, acrescentou o tricampeão de Fórmula 1, que disse que ordens de equipe vão contra todos seus valores de corrida.

Por Alan Baldwin

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below