11 de Agosto de 2016 / às 21:27 / em um ano

Ginasta Rebeca Andrade fica em 11º no individual geral; Biles é campeã

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A brasileira Rebeca Andrade ficou na 11ª posição no individual geral da ginástica artística nos Jogos Rio 2016, nesta quinta-feira, em prova vencida pela norte-americana Simone Biles, ovacionada pelo público na Arena Olímpica do Rio.

Rebeca Andrade do Brasil compete na barra de equilíbrio nos Jogos do Rio 11/08/2016 REUTERS/Dylan Martinez

Biles, que tem dominado a modalidade, foi muito aplaudida ao final de cada aparelho, especialmente o solo, e somou 62.198 para assegurar o título. A também ginasta dos EUA Alexandra Raisman ficou com a prata, e a russa Aliya Mustafina, com o bronze.

Existia a expectativa de uma colocação melhor da Rebeca, que tinha conseguido a quarta nota na etapa classificatória, mas ela somou 56.965.

Ao som de Beyoncé, Rebeca fez uma bela apresentação no solo e conseguiu nota 13.766, vaiado pela torcida, que esperava nota maior. Na trave, porém, ela teve dois desequilíbrios e ficou com 13.600.

Biles também teve um pequeno desequilíbrio na trave e chegou a apresentar recurso contra sua nota, 15.433, mas foi indeferido.

Rebeca havia feito a quarta melhor nota do individual geral na prova de classificação. A brasileira, de 17 anos, ficou atrás apenas das norte-americanas Biles, Raisman e Gabrielle Douglas, porém a última não disputou a final por causa da limitação de ginastas por país.

A brasileira, um dos jovens talentos da ginástica, passou por lesões que a impediram de disputar os Jogos Pan-Americanos de Toronto e do Mundial da Escócia, ambos em 2015.

A outra representante brasileira da prova foi Jade Barbosa. A ginasta Flávia Saraiva, que havia se classificado para essa final com a 19ª melhor nota, preferiu se preservar e disputar apenas a decisão na trave.

Jade, porém, teve que desistir da competição após se machucar durante a apresentação do solo. Ela, que só havia se apresentado na trave após a primeira rotação, caiu de joelho no primeiro elemento da série e, logo em seguida, ao tentar outra acrobacia, sentiu a lesão no pé e desistiu.

A torcida brasileira aplaudiu a ginasta, que deixou o tablado chorando e em uma cadeira de rodas.

A melhor colocação do Brasil no individual geral em Olimpíadas é justamente de Jade, com o 10º lugar em Pequim 2008.

Na quinta final olímpica da carreira, Jade, de 25 anos, era uma das atletas mais experientes da equipe de ginástica do Brasil, que terminou a final por equipe na 8ª colocação.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below