15 de Agosto de 2016 / às 21:02 / em um ano

Para Zanetti, prata na Rio 2016 valeu mais que ouro em Londres 2012

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ginasta Arthur Zanetti afirmou que a medalha de prata conquistada nesta segunda-feira na prova das argolas dos Jogos Rio 2016 foi mais valiosa do que o ouro em Londres 2012 por ter sido em casa.

Zanetti, comemora medalha 15/08/2016 REUTERS/Marko Djurica

“Estou me sentido muito mais feliz do que em Londres pelo fato de estar competindo em casa”, afirmou o ginasta, após a conquista na Arena Olímpica do Rio.

“A prata aqui foi maravilhoso. Estar competindo em casa, defendendo um título, é muito mais difícil, então esse resultado tem um gostinho a mais”, acrescentou.

A medalha de ouro nas argolas ficou com o grego Eleftherios Petrounias, atual campeão mundial, que recebeu nota 16.000, enquanto Zanetti teve pontuação 15.766.

O brasileiro foi o último a competir entre os finalistas e passou boa parte do tempo de cabeça baixa, enquanto os rivais se apresentavam. Ele disse não ter visto a nota do grego.

“Eu só fiquei sabendo do resultado dele quando o meu resultado saiu. Eu não fiquei olhando para a série de ninguém. Eu simplesmente entrei na área de competição e fiz a minha prova e saí satisfeito. Eu gostei da minha série”, afirmou.

O técnico de Zanetti, Marcos Goto, reconheceu que o desempenho de Petrounias foi superior. “Ele foi melhor, teve uma execução melhor que a do Arthur”.

PRESSÃO

O título em Londres 2012 rendeu a Zanetti muita pressão no último ciclo olímpico para repetir o feito no Rio, mas isso o fortaleceu, segundo ele, que disse estar preparado para competir em casa.

“Sei lidar muito mais com a pressão. Foram vários campeonatos, é a segunda Olimpíada, então a gente consegue se adaptar um pouco melhor”, disse ele, que evitou as redes sociais no Rio para se concentrar na prova.

“Eu passava na rua e todo mundo falava ´traz o ouro´, mas não é tão simples assim. A gente sabe o quanto trabalhou para conseguir competir. Teve uma pressão a mais antes de chegar aqui no Rio. Eu me coloquei uma pressão, tinha pressão de torcedores, mas quando cheguei aqui, esqueci tudo, esqueci redes sociais para me concentrar na minha prova”, explicou.

Aos 26 anos, o paulista de São Caetano do Sul tem o objetivo que ir à próxima Olimpíada, em 2020, mas por enquanto ele só pensa em descansar.

“É o nosso objetivo manter mais um ciclo, mas ainda não estamos pensando nisso, o que mais quero agora é descansar porque meu corpo e minha mente estão bastante desgastados”, disse. “Desde o ano passado são treinos e dieta todos os dias”, acrescentou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below