20 de Agosto de 2016 / às 17:31 / um ano atrás

Japão exalta trabalho de equipe sobre velocidade após prata improvável nos 4x100m

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As zebras do Japão podem não ter conseguindo atrapalhar a turma jamaicana de Usain Bolt, mas o trabalho em equipe dos japoneses os ajudou a surpreender e superar as estrelas dos Estados Unidos na conquista da prata no revezamento 4x100 metros dos Jogos Rio 2016, na sexta-feira.

Equipe do revezamento 4x100m do Japão comemora medalha de prata nos Jogos Rio 2016 19/08/2016 REUTERS/Gonzalo Fuentes

No individual, os corredores japoneses não tiveram chances contra adversários como Bolt, o norte-americano Justin Gatlin e o canadense Andre De Grasse.

Nenhum dos quatro japoneses --Aska Cambridge, Yoshihide Kiryu, Ryota Yamagata e Shota Iizuka-- já correu abaixo dos 10s nos 100 metros, ou mesmo se classificou para a final olímpica no individual.

Mas o que lhes falta em velocidade pura e simples, eles compensaram na sexta-feira com passagens de bastão perfeitas, destroçando o recorde asiático com o tempo de 37s60.

Não se trata somente do melhor desempenho de todos os tempos do Japão na prova --eles venceram bronze em Pequim, em 2008--, mas também de uma façanha antes impensável: relegar os EUA ao bronze.

Os norte-americanos foram depois desqualificados por terem invadido a raia de Bolt, e o Canadá, liderado por De Grasse, foi erguido ao terceiro lugar.

“Isso é fantástico. Isso é realmente fantástico”, disse Aska Cambridge, que tem pai jamaicano e mãe japonesa.

O corredor nascido na Jamaica, cujo recorde pessoal de 10s10 está bastante abaixo do recorde mundial de 9s58 estabelecido por Bolt, fez sua parte para levar os japoneses ao resultado.

“Estou muito orgulhoso de fazer parte de uma equipe no Japão“, disse Cambridge, rindo da sugestão de que devido à sua ascendência ele deveria ser chamado “Bolt japonês.”

Embora poucos torcedores de fora do Japão reconheçam os rostos dos medalhistas de prata, o rei das pistas não se surpreendeu em ver os corredores japoneses na sua cola.

“Parabéns para eles”, disse Bolt, que venceu seu terceiro ouro no 4x100 metros olímpico. “As passagens de bastão são sempre boas e isso é o que sempre ajuda eles, e eu acho que eles acertaram hoje, então não estou surpreso.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below