November 4, 2018 / 5:34 PM / 15 days ago

Nadador conclui volta ao redor da Grã-Bretanha após 157 dias no mar

MARGATE, Inglaterra (Reuters) - Depois de 157 dias no mar, lutando contra tempestades, águas-vivas e redemoinhos, o aventureiro Ross Edgley voltou à terra firme em Margate no domingo para se tornar a primeira pessoa a nadar ao redor da costa do Reino Unido.

O jovem de 33 anos de Lincolnshire começou sua épica jornada na mesma praia de Kent em 1 de junho, passando 12 horas por dia na água em sua missão de 1.780 milhas no sentido horário ao redor da costa.

Quando ele se aproximou da cidade litorânea inglesa, juntou-se a ele 300 nadadores para a última milha e dois aviões fornecidos pela Red Bull, que apoiou seu empreendimento, desenhou um coração no céu.

Em agosto, Edgley, que só deixou a água para dormir e comer em seu barco de apoio, quebrou o recorde de maior permanência no mar era de Benoit Lecomte, que nadou pelo Oceano Atlântico em 1998 por 73 dias.

Ele disse que seu plano inicial era estabelecer um novo recorde, mas depois de passar dois dias com os Royal Marine ouviu que a ideia era um pouco capenga.

“Um dos rapazes disse ‘se levante e nade ao redor do Reino Unido’ e pensei ‘sim, isso soa bem’”, disse Edgley à Reuters enquanto três grandes pizzas eram entregues a ele no icônico parque temático de Margate, Dreamland.

“Eu conheci Matt Knight (capitão do barco de apoio), e depois de um bate-papo de cinco minutos, dissemos ‘vamos fazer isso’.

PEIXES DE MEDUSA

Atravessar canais de navegação e lidar com marés em constante mudança foi desafiador, mas Edgley, que em 2016 completou a maior escalada do mundo com corda e uma vez puxou um carro por uma maratona, disse que os ataques de água-viva foram o pior, especialmente à noite.

“É quando você nem sabe que tipo de água-viva era”, disse Edgley, que quebrou quatro recordes mundiais durante sua jornada. “Eu me lembro do imenso redemoinho natural no Golfo de Corryvreckan, fiquei gravemente ferido”.

“A dor foi lancinante. Eu levantei a cabeça para perguntar à equipe o que estava acontecendo e eles me disseram que a água-viva ainda estava presa ao meu rosto. Seus tentáculos estavam presos nos meus óculos de proteção e estavam me dando um tapa na cara.”

Edgley também teve de lidar com uma “língua em desintegração” causada por imersão em água salgada, feridas por causa de sua roupa de mergulho e quase hipotermia.

Edgley estima que mastigou 500 bananas durante sua jornada épica e queimou 500 mil calorias.

Por Martyn Herman

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below