January 14, 2019 / 10:15 PM / a year ago

Capello diz que jogadores devem sentar em protesto contra racismo na Itália

Técnico Fabio Capello durante conferência em Dubai 27/12/2017 REUTERS/Satish Kumar

MILÃO (Reuters) - Os jogadores de futebol do Campeonato Italiano deveriam sentar em campo para protestar se ouvirem cantos racistas durante uma partida, defendeu nesta segunda-feira o técnico Fabio Capello, ex-Milan, Juventus e Real Madrid.

O futebol italiano luta para barrar o comportamento racista de torcedores, e o problema voltou à tona no dia seguinte ao Natal, quando o zagueiro senegalês Kalidou Koulibaly, do Napoli, foi alvo de insultos na partida contra a Inter de Milão, em San Siro.

O técnico do Napoli, Carlo Ancelotti, disse que o time irá se retirar de campo se os insultos voltassem a ocorrer, provocando um debate sobre se os clubes deveriam fazer justiça com as próprias mãos.

A Inter foi obrigada a jogar duas partidas sem torcida em casa, mas Koulibaly também foi suspenso por dois jogos, depois de ter sido expulso por discordar com o árbitro no fim da partida. Críticos acusaram a Serie A de punir as vítimas tanto quanto os culpados.

Para Ancelotti, a impaciência de Koulibaly foi resultado do tratamento que o jogador recebeu da torcida.

“Os jogadores deveriam sentar em campo, e eles não deveriam ser punidos por fazer isso”, disse Capello em entrevista a rádio pública RAI.

“Isso ajudaria os torcedores que se comportam e querem assistir ao futebol, e forçaria os culpados por esses barulhos de animais a parar e se envergonhar do que estão fazendo.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below