for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Maratona paralímpica da Tóquio 2020 será antecipada por causa do calor

Diretor da Olimpíada e da Paralimpíada Tóquio-2020, Koji Murofushi, durante entrevista coletiva em Tóquio 04/10/2017 REUTERS/Issei Kato

TÓQUIO (Reuters) - A maratona da Paralimpíada de Tóquio de 2020 começará 30 minutos mais cedo do que o programado, parte dos esforços dos organizadores para lidar com a ameaça do calor a atletas e torcedores na capital japonesa.

Faltando menos de um ano para os Jogos, a capacidade organizacional para lidar com o calor extremo é um dos principais assuntos, especialmente depois que um operário de um canteiro de obras da Tóquio 2020 morreu na quinta-feira – uma insolação é a causa suspeita.

Temperaturas em elevação mataram ao menos 57 pessoas em todo o Japão desde o final de julho, enfatizando o possível risco à saúde de atletas e torcedores.

Embora tenham anunciado toda a programação da Paralimpíada, que vai de 25 de agosto a 6 de setembro, os organizadores disseram que mudanças estão sendo feitas em reação às temperaturas altas, entre elas iniciar a maratona às 6h30.

“Como já se debateu muito, as medidas contra o calor são algo que precisamos levar em consideração. Embora ela seja realizada no final de agosto, ainda estará quente”, disse o diretor dos Jogos, Koji Murofushi.

“Do ponto de vista ‘os atletas em primeiro lugar’, o horário de largada da maratona foi adiantado em 30 minutos, das 7h para as 6h30”.

“Para o triatlo, adiantamos a largada das 8h para as 7h30, e para o hipismo, ao acrescentarmos um dia à duração da competição, de quatro para cinco dias, evitamos fazer a competição no momento mais quente do dia.”

Além das temperaturas altas, os organizadores podem ter que lidar com a temporada de tufões japonesa, que é notoriamente devastadora e costuma durar de julho a outubro.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up