September 3, 2019 / 6:44 PM / 2 months ago

Vaiado, Medvedev extrai força de rejeição da plateia no US Open

NOVA YORK (Reuters) - Daniil Medvedev nunca pretendeu ser o vilão de pantomima do Aberto dos Estados Unidos deste ano, mas, depois de ser vaiado pelo público de Nova York devido aos destemperos em quadra em suas duas últimas vitórias, ele está aprendendo a usar essa energia a seu favor.

Sep 1, 2019; Flushing, NY, USA; Daniil Medvedev of Russia gestures to the crowd after his match against Dominik Koepfer of Germany (not pictured) in the fourth round on day seven of the 2019 US Open tennis tournament at USTA Billie Jean King National Tennis Center. Mandatory Credit: Geoff Burke-USA TODAY Sports

O russo de 23 anos chegou à competição em grande forma, tendo disputado três finais consecutivas.

Essa sequência, que incluiu uma vitória sobre o número 1 do mundo, Novak Djokovic, no caminho para o título do Masters 1000 de Cincinnati, criou a expectativa de que ele seria aquele que finalmente encerraria o predomínio de Djokovic, Rafael Nadal e Roger Federer nos torneios de Grand Slam — o trio divide os últimos 11 grandes troféus.

Mas o pavio curto do russo falou mais forte em sua vitória sobre Feliciano López na terceira rodada, quando ele arrancou uma toalha com raiva de um dos boleiros, jogou a raquete e mostrou o dedo médio ao público, o que lhe rendeu multas totalizando 9 mil dólares e uma avalanche de vaias.

No final da partida, Medvedev ergueu os braços em meio ao coro de zombarias, agradecendo sarcasticamente o público do estádio Louis Armstrong.

“A única coisa que posso dizer é que a energia que vocês me dão neste momento, gente, acho que será suficiente para as minhas próximas cinco partidas. Quanto mais vocês fazem isso, mais eu vencerei, e por vocês, gente”, disse o quinto do ranking, que foi multado após cada um de seus três primeiros confrontos em Flushing Meadows neste ano.

A plateia fez sua vontade novamente após sua vitória de quarta rodada sobre Dominik Koepfer no domingo, quando ele dançou após o ponto final.      

“Falando na última partida, fui um idiota, para ser honesto”, disse ele no domingo sobre a vitória contra López. “Fiz algumas coisas das quais não sinto orgulho, e estou trabalhando para ser uma pessoa melhor na quadra, porque acho que sou uma boa pessoa fora da quadra”, disse.

“Falando de hoje, durante a partida eu estava completamente concentrado. Depois da partida, interagi um pouco com a plateia”.

“Mas todos nós sabemos como a plateia de Nova York pode ser. Provavelmente é a plateia mais elétrica do mundo”.

“Especialmente jogando nesta semana em grandes quadras eu senti isso. Hoje eu estava só interagindo com a plateia e espero —espero— que tenha sido divertido para eles e para mim”.

“Como disse, vencer me deu muita energia”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below