for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Organizadores de revezamento da tocha dos Jogos Olímpicos adotam medidas contra o coronavírus

ATENAS (Reuters) - Os organizadores gregos da cerimônia para acender a chama olímpica para Tóquio 2020 na antiga Olímpia, no próximo mês, disseram nesta segunda-feira que tomaram medidas extras para evitar a propagação do coronavírus durante o revezamento de meses da tocha.

A tocha olímpica, um símbolo da paz global e do espírito esportivo, será acesa no local dos Jogos Gregos antigos em 12 de março, antes de um revezamento de sete dias na Grécia e depois uma cerimônia de entrega em Atenas ao Japão em 19 de março.

Em seguida, será realizado um revezamento no Japão, terminando com a cerimônia de abertura dos Jogos em Tóquio, em 24 de julho.

O presidente do Comitê Olímpico Helênico, Spyros Capralos, disse a repórteres que uma reunião foi realizada com uma empresa grega de gerenciamento de riscos à saúde para estar pronta “caso algo aconteça”.

O revezamento envolve centenas de pessoas que a carregam na Grécia e cerca de 10.000 no Japão. Mas como a tocha não é entregue entre os corredores, mas a chama de uma acende a seguinte, há um contato humano limitado.

“Sobre a questão que estamos enfrentando hoje em dia, o coronavírus ... estamos tomando várias medidas. Faremos o que for humanamente possível para não ter problemas durante o revezamento”, disse o diretor de revezamento Sakis Vassiliadis a repórteres, sem dar mais detalhes.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up