for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Jogos de Tóquio devem se concentrar nos itens essenciais para reduzir custos, diz COI

Pedestre com máscara de proteção caminha em frente à entrada do Museu Olímpico em Tóquio 13/03/2020 REUTERS/Athit Perawongmetha/

TÓQUIO (Reuters) - Os organizadores da Olimpíada precisam reduzir os custos relacionados aos Jogos de Tóquio, concentrando-se nos itens essenciais, disse o chefe da Comissão de Coordenação do COI, John Coates, após reunião remota com autoridades japonesas nesta quinta-feira.

O Comitê Olímpico Internacional e o governo japonês tomaram a decisão sem precedentes no mês passado de adiar os Jogos, programados para começar em julho, até o próximo ano por causa da crise mundial do novo coronavírus.

Os organizadores da Olimpíada agora precisam replanejar a competição sem aumentar os custos adicionais.

Em entrevista ao jornal alemão Welt no domingo, o presidente do COI, Thomas Bach, disse que a entidade deverá ter centenas de milhões de dólares em custos suplementares.

“Vamos explorar todas as oportunidades para otimizar e racionalizar o escopo e os níveis de serviço nos Jogos e reduzir os custos causados pelo adiamento”, disse Coates depois da reunião com o comitê organizador de Tóquio 2020.

“Todos os serviços dos atletas permanecerão os mesmos, mas deve haver outras áreas para que possamos olhar e decidir quais são itens essenciais e quais são desejáveis.”

Quaisquer mudanças nas instalações, hospitalidade, publicidade ou abrangência de outros aspectos que compõem os Jogos Olímpicos precisarão ser negociadas.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio já tinham previsão de custar 12,35 bilhões de dólares, mesmo antes do adiamento.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up