July 13, 2020 / 1:53 PM / a month ago

Hamilton quer que Ferrari e outras equipes façam mais para combater o racismo

(Reuters) - O hexacampeão mundial da Fórmula 1 Lewis Hamilton elogiou sua equipe, a Mercedes, por se posicionar contra o racismo, mas disse, depois de vencer o Grande Prêmio da Estíria de domingo, que a Ferrari e outras equipes deveriam fazer mais.

Lewis Hamilton ergue punho no pódio do Grande Prêmio de Estíra, na Áustria 12/07/2020 Joe Klamar/Pool via REUTERS

O britânico se ajoelhou com 11 pilotos antes da corrida, vestindo uma camiseta do movimento Black Lives Matter e, em seguida, ergueu o punho em seu carro e no pódio após vencer no Red Bull Ring.

Foi o segundo fim de semana consecutivo em que os pilotos se ajoelharam antes do início da corrida, embora nem todos o tenham feito. Ajoelhar-se se tornou um ato comum de protesto contra o racismo e a brutalidade policial desde o assassinato, em 25 de maio, de George Floyd, morto sob custódia de um policial branco em Mineápolis, que provocou uma onda global de tristeza e indignação.

O gesto não fazia parte da programação oficial, como havia acontecido antes do início da temporada no mesmo circuito austríaco, quando a Fórmula 1 e as equipes enfatizaram uma mensagem anti-racismo.

“Vimos que os mecânicos da Red Bull se ajoelham, o que eu acho ótimo, mas como empresas e equipes...se você olhar para a Ferrari, que tem milhares de pessoas trabalhando com eles, não ouvi nenhuma palavra da Ferrari dizendo que eles se responsabilizam, e é isso que eles farão pelo futuro”, disse o único piloto negro do esporte a repórteres.

“E precisamos que as equipes façam isso. Precisamos que a Fórmula 1 e a FIA sejam mais líderes nesses cenários, dizendo ‘ei, pessoal, todos nós, juntos, todos precisam se unir e lutar por isso’.”

“Acho que muitas pessoas não sabem qual é o problema”, acrescentou Hamilton, que criou uma comissão para pressionar por igualdade de oportunidades e mais diversidade no automobilismo. “Algumas pessoas negam que haja um problema.”

Não houve comentários imediatos da Ferrari, cuja corrida no domingo durou cerca de 20 segundos até Sebastian Vettel e Charles Leclerc colidirem.

Vettel se ajoelhou ao lado de Hamilton antes de ambas corridas, enquanto Leclerc permaneceu de pé, mas com a frase “End Racism” estampada na camisa.

“A Fórmula 1 nos deixou a opção de nos expressar da maneira que quiséssemos”, disse Leclerc. “Estava claramente escrito em nossa camisa para acabar com o racismo, que é a principal mensagem que queremos passar.”

Por Alan Baldwin em Londres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below