14 de Agosto de 2008 / às 06:15 / em 9 anos

Cielo conquista o bronze nos 100m livre e promete ouro nos 50m

PEQUIM (Reuters) - A natação brasileira voltou a conquistar uma medalha olímpica nesta quarta-feira, quando César Cielo garantiu o bronze nos 100 metros livre dos Jogos Olímpicos de Pequim.

<p>C&eacute;sar Cielo, segundo da direita para a esquerda, do Brasil, ganhou melha de bronze na prova dos 100 metros livre nos Jogos Ol&iacute;mpicos de Pequim. A prova foi vencida pelo franc&ecirc;s Alain Bernard. A prata ficou com o australiano Eamon Sullivan. Jazon Lezak, dos Estados Unidos, empatado com Cielo, tamb&eacute;m levou bronze. Photo by Jerry Lampen</p>

Emocionado após a prova, Cielo prometeu conquistar o ouro nos 50 metros livre.

Cielo dividiu a terceira posição com o norte-americano Jason Lezak, ambos com o tempo de 47s67. O vencedor da prova foi o francês Alain Bernard, com 47s21, seguido do australiano Eamon Sullivan, com 47s32.

“É muito bom trazer uma medalha de volta para o Brasil na natação, especialmente nessa prova. Foi emocionante”, disse Cielo à televisão, bastante emocionado e chorando.

“Parece que era para ser mesmo. Eu tinha sonhado à noite que tinha ficado em terceiro, mas sabia que estava na raia 8 e que seria meio difícil. Agora vou ganhar os 50m livre.”

Essa é a quarta medalha do Brasil nos Jogos de Pequim, todas de bronze. A natação brasileira não conquistava nenhuma medalha olímpica desde Sydney-2000, com o bronze do revezamento masculino 4x100m livre.

<p>C&eacute;sar Cielo depois de de ganhar a prova dos 50 m livre REUTERS. Photo by Jason Reed</p>

Com o ouro, o francês Bernard conseguiu compensar a decepção de ter sido ultrapassado no final do revezamento 4x100 metros livre.

Bernard, que conquistou a prata naquele revezamento, registrou o recorde mundial de 47s20 na semifinal de quarta-feira, mas poucos minutos depois Sullivan conseguia baixar a marca para 47s05.

O francês afirmou que sua vitória compensa a agonia por ter perdido o revezamento na batida, quando foi superado por Lezak na última braçada em uma das provas mais emocionantes da piscina olímpica.

“Não consigo acreditar. Eu sabia que estava me sentindo pra baixo após o revezamento, mas não queria ser derrotado”, disse Bernard.

“Eu tenho trabalhado por anos e anos. Não entrei em pânico. Quando olhei para o telão, pensei ‘uau, consegui!”’

Sullivan foi simpático com seu adversário.

“Alain é um competidor fantástico. Para se recuperar daquele revezamento é preciso muita coragem e ele mostrou isso hoje. Crédito total para ele”, disse.

Por Julian Linden, com reportagem adicional de Martin Petty

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below