23 de Agosto de 2008 / às 15:47 / em 9 anos

ALTOS&BAIXOS-Brasil iguala recorde de 15 medalhas

PEQUIM (Reuters) - Veja abaixo quem sobe e quem desce nos Jogos Olímpicos de Pequim após as competições deste sábado.

<p>Brasil iguala recorde de 15 medalhas. Jogadoras da sele&ccedil;&atilde;o brasileira de v&ocirc;lei feminino ouvem o hino nacional no p&oacute;dio ap&oacute;s a conquista da medalha de ouro contra os Estados Unidos. 23 de agosto. Photo by Alexander Demianchuk</p>

ALTOS

* A delegação brasileira em Pequim garantiu neste sábado no mínimo igualar o recorde de 15 medalhas olímpicas conquistadas nos Jogos de Atlanta, em 1996, após o ouro do vôlei feminino e o bronze de Natália Falavigna no taekwondo.

As duas medalhas conquistas levaram o Brasil ao 22o lugar no quadro de medalhas, com 14 medalhas (3 de ouro, 3 de prata e 8 de bronze), e o país tem no mínimo mais uma prata garantida, com a seleção masculina de vôlei classificada para a final contra os EUA.

Em número de medalhas de ouro, entretanto, que serve como base para a classificação no quadro de medalhas, a melhor campanha brasileira foi em Atenas-2004, quando o país conquistou 5 ouros, num total de 10 medalhas (2 de prata e 3 de bronze).

O Brasil ainda tem mais uma possibilidade de subir ao pódio em Pequim, na maratona masculina, que encerra os Jogos no domingo. Em Atenas, Vanderlei Cordeiro de Lima chegou em 3o, após ter sido empurrado por um invasor quando liderava a prova.

* Uma jogadora em especial se destacou na conquista da inédita medalha de ouro do vôlei feminino do Brasil: Sheilla. A oposto foi a maior pontuadora da decisão, com 19 bolas na quadra dos Estados Unidos, e brilhou numa partida em que todas as jogadoras brasileiras provaram realmente formar o melhor time dos Jogos Olímpicos. A capitã Fofão, de 38 anos, e a líbero Fabi também brilharam, colocando-se entre as melhores do mundo em suas posições.

BAIXOS

* O cubano Angel Valodia Matos, do taekwondo, ficou irritado com o árbitro de seu combate pela medalha de bronze e acertou um chute na cabeça do juiz sueco Chakir Chelbat. A agressão aconteceu após uma ríspida discussão entre o lutador, seu técnico e os árbitros do combate, após Chelbat ter paralisado a luta, aparentemente a favor do adversário de Matos, o cazaque Arman Chilmanov. Matos foi punido logo após a luta com a exclusão definitiva do esporte pela Federação Mundial de Taekwondo.

* A seleção cubana de beisebol, considerada a maior potência do esporte nos Jogos Olímpicos (sem a presença de profissionais que atuam no EUA) perdeu para a Coréia do Sul na final da Olimpíada de Pequim, na despedida da modalidade do programa dos Jogos.

Os cubanos, ouro em Barcelona-1992, Atlanta-1996 e Atenas-2004, além da prata em Sydney-2000, sucumbiram diante do lançador canhoto Ryu Hyunjin e perderam a decisão olímpica por 3 a 2, ficando novamente em 2o lugar. Por decisão do Comitê Olímpico Internacional, o beisebol não será disputado em Londres-2012, e enfrentará uma nova votação para os Jogos de 2016.

Edição de Pedro Fonseca e Tatiana Ramil

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below