24 de Agosto de 2008 / às 02:10 / 9 anos atrás

Queniano Wanjiru é ouro na maratona; José Teles fica em 38o

Por Mitch Phillips

PEQUIM (Reuters) - A longa espera do Quênia por sua primeira medalha de ouro olímpica em uma maratona terminou neste domingo (horário local), quando Sammy Wanjiru venceu a prova no calor de Pequim e ainda bateu o recorde Olímpico com 2h06min32.

Wanjiru, de 21 anos, permaneceu sempre no grupo da frente, marcando um forte ritmo que rapidamente começou a derrubar os adversários.

Ele fez seu ataque decisivo pouco depois, para terminar com boa vantagem à frente do marroquino Jaouad Gharib, medalha de prata com 2h07min16. Tsegay Kebede passou seu exausto compatriota etíope Deriba Merga na volta final, dentro do Ninho do Pássaro, levando o bronze.

“Eu forcei e forcei, eu tinha que fazer isso, cansar os outros”, disse Wanjiru. “Meu plano era forçar meu corpo até o limite”.

Apesar de sua grande tradição em provas de longa distância e de grandes vencedores de maratonas, o título olímpico sempre escapou do país africano, que conta com seis dos 10 homens mais rápidos da história na maratona.

O brasileiro melhor colocado na prova foi José Teles de Souza, na 38a posição, com 2h20min25. Marilson dos Santos e Franck Caldeira não terminaram a disputa.

Com o recordista mundial Haile Gebrselassie fora da prova por temores quanto à poluição, os quenianos chegaram confiantes de que a história iria mudar desta vez.

Todos os três quenianos estavam no pelotão da frente após a largada, em uma bela manhã clara e ensolarada na Praça Tiananmen.

Por volta do 10o quilômetro os líderes já tinham sido reduzidos para oito, e o campeão mundial Luke Kibet, do Quênia, desistiu logo depois.

Cinco permaneceram juntos até a marca de 25 quilômetros, até que o vencedor da maratona de Londres deste ano, Martin Lel, favorito do Quênia, também abandonou.

Wanjiru, Gharib e Deriba então dispararam, mas quando o queniano começou a abrir vantagem os dois não conseguiram mais responder. Ele entrou no estádio Ninho de Pássaro sorrindo e acenando.

A vitória fechou com uma bela campanha para o Quênia no atletismo, com cinco ouros, cinco pratas e quatro bronzes.

“É muito bom fazer história aqui”, disse Wanjiru. “O Quênia ganhou muitas medalhas, mas nunca na maratona, então estou feliz por ter feito isso”.

Gharib disse: “Esse tempo foi incrível nessas condições”.

Stefano Baldini, campeão em Atenas que desta vez terminou em 12o, concordou: “Nos últimos 10 quilômetros foi inacreditável o que os africanos conseguiram fazer nessas condições”, disse o italiano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below