12 de Outubro de 2008 / às 16:47 / em 9 anos

Paraguai mantém ritmo e Argentina finalmente vence

Por Brian Homewood

<p>jogadores da Argentina em partida contra o Uruguai, no dia 11 de outubro. A Argentina venceu o Uruguai por 2 x 1 em uma partida cheia de faltas pela eliminat&oacute;ria da Copa, no s&aacute;bado, e colocou um ponto final numa s&eacute;rie de empates consecutivos, enquanto o l&iacute;der do grupo da Am&eacute;rica do Sul, o Paraguai, bateu a Col&ocirc;mbia por 1 x 0 REUTERS/Enrique Marcarian (ARGENTINA)</p>

BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina venceu o Uruguai por 2 x 1 em uma partida cheia de faltas pela eliminatória da Copa, no sábado, e colocou um ponto final numa série de empates consecutivos, enquanto o líder do grupo da América do Sul, o Paraguai, bateu a Colômbia por 1 x 0.

A Bolívia derrotou o Peru por 3 x 0 no outro jogo e o técnico Erwin Sanchez disse que esperava que a vitória pudesse ajudar a unir o país politicamente dividido.

Com a maratona de 18 partidas chegando à sua metade, a vitória do Paraguai em Bogotá mantém o time na liderança da competição com 20 pontos, quatro à frente da Argentina.

O Brasil, que enfrenta a Venezuela neste domingo, e o Chile, que joga contra o Equador, estão três pontos atrás. A derrota do Uruguai deixou o time na quinta colocação, com 12 pontos, e a Colômbia continua em sexto, com dez.

O quatro primeiros colocados se classificam diretamente para a Copa da África do Sul, o quinto colocado disputa a repescagem contra um time da região da Concacaf.

O técnico da Argentina, Alfio Basile, que gosta que seu time jogue com raça e estilo, admitiu que tudo o que queria no sábado era uma vitória, não importando se fosse bonita ou não.

“Um bom resultado era fundamental hoje e nós conseguimos”, disse ele.

JOGO AGRESSIVO

O jogo parecia que seria um passeio para a Argentina, mas se transformou em uma batalha depois que Diego Lugano diminuiu a vantagem dos argentinos pouco antes do intervalo.

O segundo tempo foi repleto de jogadas violentas e rixas frequentemente associadas aos jogos do River Plate.

“O árbitro foi um desastre”, reclamou Basile. “Sua permissividade permitiu que o Uruguai interrompesse o espetáculo”.

“Nós fizemos o que pudemos num jogo em que o adversário entrou com tudo para cima de você.”

O Paraguai deu ao novo técnico da Colômbia, Eduardo Lara, um início de trabalho já com derrota, quando Salvador Cabañas pegou o goleiro Agustín Julio adiantado e marcou com um chute de 30 metros aos nove minutos de partida.

A Colômbia, que marcou apenas quatro gols em nove jogos, sofreu sua terceira derrota consecutiva.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below