15 de Dezembro de 2008 / às 12:39 / 9 anos atrás

Fifa declara morto "plano B" parar tirar Copa da África do Sul

Por Alastair Himmer

<p>O presidente da Fifa, Joseph Blatter, em entrevista coletiva em T&oacute;quio. Blatter desmentiu nesta segunda-feira que a entidade tenha um "plano B" para a hip&oacute;tese de a &Aacute;frica do Sul n&atilde;o conseguir organizar a Copa do Mundo de 2010. 15 de dezembro.REUTERS/Issei Kato (JAPAN)</p>

TÓQUIO (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, desmentiu nesta segunda-feira que a entidade tenha um “plano B” para a hipótese de a África do Sul não conseguir organizar a Copa do Mundo de 2010.

Blatter declarou há alguns meses que a Fifa tinha planos de contingência para o caso de o país africano estar mal-preparado para o torneio, o que gerou uma série de especulações sobre as possíveis alternativas.

A menos de 18 meses do início do torneio, Blatter insistiu que a África do Sul estará preparada para realizar satisfatoriamente a primeira Copa do Mundo em solo africano.

“Não há plano B, C ou D -- para os que ainda têm dúvidas, eu lhes digo que a Copa do Mundo de 2010 será organizada na África do Sul”, disse Blatter a jornalistas em Tóquio.

“Eu ficarei orgulhoso porque é meio como se fosse o meu bebê. Sonhei durante 34 anos em levar a Copa do Mundo para a África. É meio como se fosse o meu bebê”, declarou o suíço.

A preparação dos estádios e a infra-estrutura da África do Sul preocupam alguns observadores, mas os organizadores prometem entregar instalações satisfatórias.

“Todos os estádios estarão lá”, disse o chefe do comitê organizador local, Danny Jordan. “Haverá uma revolução dos transportes. Não há dúvida de que estará pronto.”

A Fifa e os organizadores sul-africanos também se preocuparam em dar garantias de segurança, quando um jornalista japonês perguntou se poderia sair à noite do seu hotel durante a Copa.

A África do Sul tem uma das maiores taxas mundiais de homicídios, e no mês passado o próprio ministro de Segurança, Nathi Mthethwa, descreveu a África do Sul como “campo de extermínio”.

“Seria uma Copa do Mundo muito estranha se as pessoas ficassem nos seus quartos de hotel”, disse Jordan. “Dê o seu telefone -- vou te levar para jantar”, propôs.

Apesar do empenho de Jordan em minimizar a criminalidade, ele foi pressionado a dar detalhes sobre o policiamento em 2010.

“Há um investimento extra e haverá 41 mil policiais adicionais”, disse Jordan. “Teremos helicópteros e câmaras de vigilância.”

O governo sul-africano já prometeu gastar mais de 115 milhões de dólares em segurança para a Copa.

Embora tenha prometido um “cobertor de segurança” para os locais de competição, Jordan insistiu que os atentados do mês passado em Mumbai não provocaram uma revisão dos planos.

“Não acho que a África do Sul esteja no topo da lista de alvos. Reconhecemos que é possível, mas nossa polícia está colaborando estreitamente com a Interpol.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below