16 de Janeiro de 2009 / às 16:48 / em 9 anos

Para Maradona, regras do prêmio da Fifa são "burras"

Por Brian Homewood

<p>T&eacute;cnico da Argentina, Diego Maradona, durante coletiva de imprensa em Buenos Aires nesta sexta-feira. Para Maradona, regras do pr&ecirc;mio da Fifa s&atilde;o "burras". REUTERS/Enrique Marcarian</p>

BUENOS AIRES (Reuters) - Diego Maradona chamou as regras do prêmio de Melhor Jogador do Ano, da Fifa, de “burras” na sexta-feira, depois de ser proibido de escolher Lionel Messi.

“Eu tive de escolher outra pessoa, sabendo que Lionel Messi é o melhor jogador do mundo”, disse o técnico da seleção argentina a repórteres, acrescentando que votou em Cristiano Ronaldo, do Manchester United e da seleção portuguesa.

Maradona criticou a regra que proíbe que técnicos votem em jogadores das seleções de seus países de origem.

“Quem criou isso é burro”, disse. “É inacreditável, votei em Ronaldo quando queria votar em Messi, mas não pude”.

Ronaldo recebeu o prêmio em uma cerimônia realizada na segunda-feira. Messi ficou em segundo lugar e Fernando Torres, do Liverpool e da seleção espanhola, ficou em terceiro.

O prêmio da Fifa se baseia em votos de técnicos das seleções nacionais e de capitães de 208 associações filiadas ao órgão que controla o futebol.

Maradona falou depois de uma viagem de duas semanas pela Europa, na qual visitou alguns dos melhores jogadores argentinos, seus clubes e seus técnicos.

Maradona elogiou o técnico do Inter de Milão, José Mourinho. “Ele é uma pessoa sensacional”, afirmou. “É alguém que admiro”.

Maradona também agradeceu ao presidente do Barcelona, Joan Laporta, e ao técnico do time, Pep Guardiola, dizendo que eles concordaram em liberar Messi para o amistoso contra a França no dia 11 de fevereiro.

“Eles se comportaram como cavalheiros e abriram as portas do Barcelona para mim, depois de um longo tempo”, disse. “Laporta e eu queremos o melhor para Messi”.

No ano passado, a Argentina concordou em não convocar Messi para amistosos internacionais depois que o Barcelona aceitou que ele participasse da Olimpíada de Pequim.

O jogo contra a França será o segundo com Maradona no comando, após sua surpreendente escolha para o cargo. Ele estreou com uma vitória de 1 x 0 sobre a Escócia, em novembro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below