21 de Julho de 2009 / às 11:46 / em 8 anos

Poliana Okimoto leva bronze na maratona aquática em Mundial

OSTIA, Itália (Reuters) - A brasileira Poliana Okimoto conquistou nesta terça-feira a medalha de bronze na prova da maratona aquática do Mundial de Roma. Foi a primeira medalha do Brasil em um Mundial de Esportes Aquáticos da Federação Internacional de Natação após 15 anos.

<p>Australiana Melissa Gorman vence o Mundial de Nata&ccedil;&atilde;o. 21/07/2009. REUTERS/Alessandro Bianchi</p>

“É uma honra para mim quebrar esse jejum de 15 anos sem medalhas para toda a natação. Só nos últimos 200 metros que consegui ficar na briga pela medalha de bronze. Aí pensei que o Brasil é mais garra, é mais força e é assim que a gente tem que ser na prova”, disse ela, segundo a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (Cbda).

Poliana, de 26 anos, é também a primeira brasileira a levar uma medalha no Mundial.

A última conquista do país foi registrada na competição de Roma, em 1994, quando o Brasil ganhou duas medalhas de bronze com Gustavo Borges, nos 100m livre, e o revezamento 4x100m livre com Fernando Scherer, Teófilo Ferreira, Gustavo e André Teixeira.

A australiana Melissa Gorman conquistou uma dramática vitória na prova de 5 quilômetros em águas abertas do Mundial de Natação com o tempo de 56min55ses8.

A russa Larisa Ilchenko, várias vezes campeã mundial e atual campeã olímpica da prova dos 10 quilômetros, errou a última braçada e teve de se contentar com a prata após chegar em 56m56s3. Poliana Okimoto conquistou o bronze com o tempo de 56m59s3.

Os comissários passaram vários minutos avaliando as imagens de TV até se convencerem de que Gorman, depois de liderar a maior parte da prova, realmente havia vencido.

“Ela é meu ídolo e batê-la é realmente incrível. Não acredito que realmente cheguei lá”, disse a australiana, de 23 anos, que na quarta-feira disputa a prova dos 10 quilômetros e na semana seguinte cai na piscina para as disputas dos 1.500 e 800 metros livres.

A prova de terça-feira aconteceu sob um céu ligeiramente nublado, num trecho de litoral próximo a Roma. Desta vez não houve o contato físico entre as nadadoras, como em provas anteriores em mar aberto. Na reta final, porém, Ilchenko e Gorman nadaram quase grudadas.

Na prova masculina dos 5 quilômetros, o alemão Thomas Lurz conquistou sua quinta vitória consecutiva em campeonatos mundiais, com tempo de 56min27s. O grego Spyridon Gianniotis ficou em segundo lugar, e o sul-africano Chad Ho conseguiu a prata. Para frustração da torcida local, Luca Ferretti ficou em quarto lugar - posição ocupada até agora por vários nadadores do país anfitrião.

As competições em águas abertas do Mundial de Roma foram adiadas de segunda para terça-feira por causa de uma tempestade que havia estragado as instalações montadas na praia. A prova masculina dos 10 quilômetros acontece também na quarta-feira nas agitadas águas do mar Tirreno.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below