14 de Outubro de 2009 / às 12:24 / em 8 anos

Barrichello admite negociação com Williams mas nega contrato

Por Camila Moreira

<p>Rubens Barrichello admitiu nesta ter&ccedil;a-feira que negocia com a equipe Williams para a temporada de 2010 da F&oacute;rmula 1 e afirmou que v&ecirc; como garantida sua perman&ecirc;ncia na categoria no ano que vem.. REUTERS/Paulo Whitaker</p>

SÃO PAULO (Reuters) - Rubens Barrichello admitiu nesta terça-feira que negocia com a equipe Williams para a temporada de 2010 da Fórmula 1 e afirmou que vê como garantida sua permanência na categoria no ano que vem.

No entanto, quando questionado sobre as informações que rondam os paddocks da Fórmula 1 de que ele já teria assinado um contrato com a Williams, Barrichello negou e fez questão de afirmar que também negocia uma possível permanência na Brawn GP.

“Que tem verdade nas conversas com a Williams e com a Brawn tem, sem dúvida nenhuma. Mas que não tem papel assinado ainda para que eu possa dizer, não tem”, disse o piloto em entrevista à imprensa.

“Eu li tudo que foi falado, e deixei bem claro que é um momento muito especial para mim na Fórmula 1 ... Hoje me sinto muito honrado de ter equipes procurando, de ter equipes com quem converso e situações muito melhores do que há algum tempo”, completou.

Barrichello é o vice-líder do Mundial, 14 pontos atrás de seu companheiro da Brawn, Jenson Button, e precisa vencer em São Paulo no próximo domingo para levar a decisão do campeonato a Abu Dhabi. Ainda assim, isso pode não ser o suficiente, já que Button precisa apenas terminar em terceiro para garantir o título com uma prova de antecedência.

Para o brasileiro, que tem como melhor resultado em Interlagos um 3o lugar em 2004 pela Ferrari, o que vai decidir seu futuro no ano que vem é o pacote competitivo. Nesta temporada a Brawn lidera a classificação entre os construtores, e está muito próxima de garantir o título. Já a Williams está em sexto lugar.

“Estou em um momento privilegiado da carreira de poder escolher o carro que vou competir. Quero muito um carro competitivo pro ano que vem”, disse ele.

“Hoje consigo dialogar de igual para igual, e esperar o momento certo, e quando for a hora certa falar exatamente quais são os meus planos para o ano que vem”.

Barrichello, que é o piloto mais velho no grid de largada e detém o recorde de corridas na F1 -- disputou até agora 286 grandes prêmios -- acredita que aos 37 anos chegou ao pico de sua performance.

“É a melhor temporada, é o começo da colheita de coisas que plantei no passado. Aos 37 anos acho que chego ao pico da minha performance”, disse ele sobre o atual campeonato.

O piloto, duas vezes vice-campeão mundial com a Ferrari, esteve perto de ver sua carreira chegar ao fim após a temporada passada, com a decisão da Honda de deixar o esporte, mas desde então conseguiu dar a volta por cima com uma equipe que até o início desta temporada era uma incógnita.

“Já tive temporadas muito boas, mas essa dá um prazer ainda maior por essa volta por cima, por estar praticamente desempregado por quatro meses e poder voltar a guiar um carro competitivo”, afirmou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below