30 de Novembro de 2009 / às 15:16 / em 8 anos

Parreira aposta em vitória do Brasil na Copa do Mundo

Por Marc Gleeson

<p>T&eacute;cnico da &Aacute;frica do Sul Carlos Alberto Parreira durante entrevista coletiva em novembro REUTERS/Ziphozonke Lushaba</p>

JOHANNESBURGO (Reuters) - O treinador da seleção de futebol da África do Sul, Carlos Alberto Parreira, aposta na seleção do Brasil para vencer da Copa do Mundo de 2010.

Parreira, que levou o Brasil ao título mundial em 1994 mas foi derrotado no comando da equipe no Mundial da Alemanha em 2006, disse que a vitória do Brasil na Copa das Confederações, realizada na África do Sul este ano, e sua performance nas eliminatórias para a Copa, fazem da seleção brasileira o time a ser batido em junho.

“O Brasil jogou tão bem nas partidas recentes. O jeito como a equipe vem jogando faz dela a favorita. Mas há outras seleções também a levar em conta”, disse Parreira na convenção de negócios no futebol Soccerex, em Johanesburgo, nesta segunda-feira.

Parreira acrescentou que Espanha e Alemanha também são vencedoras potenciais e reservou menção especial para a Inglaterra. “Eles tem uma boa seleção. Gosto do jeito como vem jogando sob comando de (Fabio) Capello”, disse.

“A questão na Copa do Mundo é chegar ao ápice no momento certo, e sinto que há unidade na seleção brasileira. Esse é um país que tem uma relação especial com a Copa do Mundo. Os jogadores não têm medo do evento, mas querem de qualquer jeito jogar bem.”

O Brasil bateu o recorde de títulos em Copas ao tornar-se pentacampeão do mundo em 2002 e era visto como favorito em 2006, até ser eliminado pela França nas quartas-de-final.

Parreira disse que não crê que a primeira Copa disputada no inverno desde a Copa da Argentina, em 1978, representará uma vantagem para as seleções europeias.

“Noventa por cento dos jogadores da seleção brasileira joga em clubes europeus. Não vejo vantagem alguma para os europeus”, disse.

Sobre a seleção sul-africana, que ele comanda, Parreira disse: “Nossa missão está clara: levar os ‘Bafana Bafana’ o mais longe que conseguirmos.”

“A vantagem de jogar em casa será um fator em nosso favor, se estivermos bem preparados, e acho que será assustador para os times adversários que jogarão conosco, especialmente na partida de abertura, quando teremos 90 mil torcedores de nosso lado.”

Parreira também defendeu o uso das barulhentas cornetas de plástico conhecidas como vuvuzelas, cujo barulho incessante motivou queixas de jogadores e emissoras de TV na Copa das Confederações, disputada em junho.

“As vuvuzelas são uma grande ajuda”, disse. “Precisamos usá-las para nossa vantagem.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below