23 de Dezembro de 2009 / às 10:49 / em 8 anos

Schumacher volta à F1 atrás do seu oitavo título

Por Alan Baldwin

<p>Foto arquivo mostra Michael Schumacher durante sess&atilde;o classificat&oacute;ria para a GP da Europa da F1 em da Europa Val&ecirc;ncia no dia 22 de agosto. A equipe Mercedes anunciou na quarta-feira que Schumacher voltar&aacute; &agrave; F&oacute;rmula 1 aos 41 anos de idade para disputar um in&eacute;dito oitavo t&iacute;tulo mundial, ap&oacute;s dois anos de aposentadoria. REUTERS/Albert Gea/Files</p>

LONDRES (Reuters) - A equipe Mercedes anunciou oficialmente na quarta-feira que Michael Schumacher voltará à Fórmula 1 aos 41 anos de idade para disputar um inédito oitavo título mundial, após dois anos de aposentadoria.

“Nosso objetivo só pode ser lutar pelo campeonato”, disse o alemão em entrevista coletiva após assinar contrato na terça-feira.

A imprensa diz que o piloto, já campeão pela Benetton e a Ferrari, vai ganhar 7 milhões de euros (10 milhões de dólares). A ex-Brawn GP agora é alemã, e o companheiro de Schumacher também deve ser - Nico Rosberg, que já assinou contrato para 2010.

Havia expectativa de que Schumacher assinasse um contrato de um ano, mas ele disse que a intenção é correr durante três anos. “Não é uma coisa isolada. Esperamos ter continuação”, afirmou.

A volta de Schumacher, que completa 41 anos em janeiro, representa também uma retomada da sua parceria com o britânico Ross Brown, que como diretor técnico supervisionou todos os títulos do alemão, e agora também comanda a Mercedes.

Schumacher já havia sido piloto da Mercedes em outras categorias, antes de entrar na F1 pela Jordan, em 1991.

“Estou feliz por poder devolver algo que a Mercedes me deu nos primeiros dias”, afirmou o piloto, que soma 249 provas e 91 vitórias na categoria.

Schumacher chegou a ensaiar um retorno às pistas neste ano, quando teve a chance de substituir Felipe Massa, afastado da Ferrari por causa do acidente no GP da Hungria. Abandonou a ideia porque ainda sentia dores no pescoço, decorrência de um acidente de moto.

Desde que se aposentou, no final de 2006, Schumacher era consultor da Ferrari, mas a equipe italiana admitiu que não havia um contrato de exclusividade.

O heptacampeão encontrará um ambiente muito diferente - e mais consciente com os custos.

Mercedes e Ferrari serão as únicas equipes pertencentes a fábricas, já que BMW, Honda e Toyota desistiram nos últimos 12 meses, e a Renault deve vender uma parte significativa da sua equipe, que tem sede na Grã-Bretanha.

Schumacher pretende seguir os passos do austríaco Niki Lauda e do francês Alain Prost, que foram campeões após voltarem da aposentadoria.

Os ex-campeões Damon Hill, grande rival de Schumacher em meados da década de 1990, e Nigel Mansell já declararam que a idade não será empecilho para novas vitórias de Schumacher.

A volta também irá proporcionar um inédito duelo entre Schumacher e o britânico Lewis Hamilton, campeão de 2008, que entrou na F1 no ano seguinte à aposentadoria do alemão.

Hamilton e Jenson Button, atual campeão, formarão uma dupla totalmente britânica na também inglesa McLaren - que, no entanto, usará motores Mercedes.

O grid de largada terá pelo menos um piloto com metade da idade de Schumacher. O campeão mais velho da Fórmula 1 continua sendo o argentino Juan Manuel Fangio, que obteve seu quinto título aos 46 anos. O italiano Luigi Fagioli é o piloto mais velho a ter vencido uma corrida - aos 53 anos, em 1951.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below