28 de Janeiro de 2010 / às 13:27 / 8 anos atrás

Henin e Serena encerram sonho de chinesas em Melbourne

Por Julian Linden

<p>Serena Williams dos EUA rebate jogada da chinesa Li Na na disputa das semifinais do Aberto da Austr&aacute;lia em Melbourne. Serena Williams e Justine Henin venceram suas rivais chinesas na quinta-feira e agora far&atilde;o uma memor&aacute;vel final do campeonato, entre a atual e uma ex-n&uacute;mero 1 do mundo. REUTERS/Mick Tsikas 28/01/2010</p>

MELBOURNE (Reuters) - Serena Williams e Justine Henin venceram suas rivais chinesas na quinta-feira e agora farão uma memorável final do Aberto da Austrália, entre a atual e uma ex-número 1 do mundo.

Apesar da derrota de Li Na e Zheng Jie, este Aberto da Austrália pode entrar para a história como um marco para o tênis asiático, onde duas chinesas passaram pela primeira vez à semifinal de um torneio do Grand Slam. Mas uma possível nova ordem mundial do tênis - com uma inédita finalista chinesa - ainda terá de esperar um pouco mais.

Serena usou sua força e sua experiência para superar Li por um duplo 7-6, num jogo muito disputado. Em busca do seu quinto título na Austrália, ela admitiu que escapou “por pouco” de ser surpreendida pela rival. “Eu não estava no meu melhor hoje, mas ainda estou aí - o que é chocante - e vou fazer tudo o que puder para continuar.”

Henin, que disputa apenas seu segundo torneio desde que abandonou a aposentadoria, atropelou Zheng (6-1, 6-0) e continua a viver um conto de fadas no esporte que outrora dominou.

A belga de 27 anos, que melhora a cada partida, foi inclemente nesse jogo de apenas 51 minutos.

Há duas semanas, quando Henin chegou a Melbourne, pouca gente apostava suas fichas nela. Agora, ela própria já começa a acreditar. “O sonho continua. Vou jogar com a número 1 do mundo. Ela é uma lutadora, como provou aqui, e darei o melhor de mim e tentarei ficar com o título.”

A derrota de Li e Zheng provoca decepção para milhões de chineses que vinham acompanhando as partidas delas pela TV, no que pode ser um prenúncio para o futuro do esporte.

“Isso foi bom para ambas as jogadoras e é claro que foi bom para o tênis chinês”, disse Li. “Acho que se as crianças (chinesas) virem isso, terão mais confiança. Elas podem achar que algum dia podem fazer isso.”

Chegando à semifinal, Li se tornará a primeira chinesa entre as top 10, no ranking que sai na segunda-feira. No jogo contra Serena, mostrou que de fato está entre as jogadoras com melhor evolução no circuito.

A norte-americana de 28 anos, que também disputa o torneio de duplas ao lado da irmã Venus, ofegava quando Li a forçava a correr de um lado para outro, e ficou aliviada por evitar um terceiro set.

“Eu soube jogar bem os tie-breaks. Sabia que tinha de assumir a liderança, porque, se eu engasgasse, teria alguns pontos para engasgar”, disse Serena.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below