17 de Março de 2010 / às 19:30 / em 8 anos

ANÁLISE-África do Sul pode ter mais protestos antes da Copa

Por Peroshni Govender

<p>Um ressurgimento de protestos violentos remanescentes da era do apartheid pode atingir a &Aacute;frica do Sul antes da Copa do Mundo, num momento em que a popula&ccedil;&atilde;o pobre do pa&iacute;s aumenta sua press&atilde;o por melhores condi&ccedil;&otilde;es de moradia e emprego. REUTERS/Siphiwe Sibeko (SOUTH AFRICA - Tags: TRANSPORT SOCCER CIVIL UNREST POLITICS)</p>

JOHANESBURGO (Reuters) - Um ressurgimento de protestos violentos remanescentes da era do apartheid pode atingir a África do Sul antes da Copa do Mundo, num momento em que a população pobre do país aumenta sua pressão por melhores condições de moradia e emprego.

Nos dois últimos meses, protestos em favelas e bairros pobres se tornaram quase diários, levando a polícia a usar canhões de água e balas de borracha para dispersar os manifestantes armados com paus e pedras.

E esses protestos podem se espalhar e ganhar força antes do principal evento esportivo do mundo a ser realizado na África pela primeira vez entre 11 de junho e 11 de julho, de acordo com analistas políticos.

Uma ameaça do influente sindicato Cosatu, com dois milhões de membros, de realizar uma greve nacional durante a Copa devido ao aumento nos preços da energia aumentou a pressão sobre o governo do presidente Jacob Zuma.

Sul-africanos pobres e desempregados, muitos ainda morando em cabanas quase 16 anos depois que o partido do governo ANC chegou ao poder, estão insatisfeitos com o que afirmam ser uma falha do governo em fornecer moradia decente, água limpa, eletricidade e emprego.

“O governo pode arcar com bilhões de rands para os estádios (para a Copa), mas não tem dinheiro para melhorar as nossas vidas”, disse Morongoa Molokmone, que vive no assentamento Orange Farm, no sul de Johanesburgo.

Molokmone, que está desempregado e vive num pequeno barraco sem água e energia, disse que os pobres esperaram por anos por uma vida melhor.

O governo espera que a Copa do Mundo injete bilhões de rands na economia do país, após ter investido enormes quantias para melhorar a infraestrutura e construir novos estádios. Analistas do Bank of America/Merrill Lynch estimam que a Copa do Mundo pode injetar até 1,1 bilhão de dólares na economia do país.

ESPAÇO PARA RAIVA

Zuma, que prometeu melhorar a vida dos mais pobres durante sua campanha eleitoral em abril, tem enfrentado dificuldades para cumprir suas promessas pouco após a África do Sul ter saído de sua primeira recessão em 17 anos.

“As pessoas percebem que agora é a hora de aproveitar esse espaço para a raiva. Com a Copa do Mundo logo ali, o governo não pode não ouvir”, disse Prince Mashele, diretor-executivo do Centro de Políticas e Pesquisas.

Os últimos protestos aconteceram perto de Johanesburgo e Gauteng -- o centro econômico da África do Sul -- mas analistas dizem que os distúrbios podem se espalhar para outras províncias.

“É apenas uma questão de tempo para que as pessoas percebam que estão reclamando das mesmas coisas e que elas terão mais força se estiverem unidas”, disse Frans Cronje, vice-diretor do Instituto de Relações Raciais da África do Sul.

Mas, apesar de os protestos durante a Copa do Mundo serem motivo de preocupação para o governo, as manifestações dificilmente vão prejudicar o torneio.

“A polícia será rápida em apontar suas armas para os manifestantes para restaurar a ordem”, disse Cronje.

Mas a maior preocupação para Zuma não vem dos pobres. A ameaça do secretário-geral do Cosatu, Zwelinzima Vavi, de que milhares de trabalhadores podem entrar em greve ao mesmo tempo é muito mais perigosa.

O Cosatu, que apoiou a candidatura de Zuma para a Presidência, é contra um aumento de 25 por cento autorizado pelo governo no preço da energia fornecida pela empresa estatal Eskom.

“O Cosatu tem habilidade e capacidade logística para deixar o país a seus pés”, disse Mashele, do Centro de Políticas e Pesquisas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below