20 de Maio de 2010 / às 18:35 / em 8 anos

Eriksson precisa correr contra o tempo com Costa do Marfim

Por Brian Homewood

<p>O t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o da Costa do Marfim, o sueco Sven-Goran Eriksson, foi contratado apenas no final de mar&ccedil;o. 20/05/2019 REUTERS/Denis Balibouse</p>

MONTREUX, Suíça (Reuters) - O técnico da seleção da Costa do Marfim, Sven-Goran Eriksson, terá toda sua equipe reunida pela primeira vez na próxima segunda-feira, menos de três semanas antes do início da Copa do Mundo.

O sueco, contratado no final de março, terá somente dois amistosos contra Paraguai e Japão para preparar os “elefantes” para um dos grupos mais difíceis do Mundial da África do Sul, formado ainda por Portugal, Brasil e Coreia do Norte.

Eriksson iniciou um treinamento com 13 dos 30 convocados por ele na lista provisória para o Mundial. Quatro goleiros e nove defensores estão com o técnico.

“Conseguimos praticar a defesa um pouco”, disse o ex-técnico da seleção inglesa, que substituiu Vahid Halilhodzic, demitido após a eliminação nas quartas-de-final da Copa Africana de Nações contra a Argélia em janeiro.

“Não é a melhor das situações, agora eu tenho 13 jogadores nesta semana e tenho de observar como eles trabalham”, disse o técnico a um pequeno grupo de jornalistas.

“Me encontrarei com os outros 17 na segunda-feira. Nunca trabalhei com eles. Temos que ser rápidos, conseguir montar um time, dentro e fora do campo”, disse.

“A realidade é que há muitos bons jogadores de futebol e depende de mim e dos jogadores fazer disso um time”, acrescentou.

Eriksson não morou na Costa do Marfim, o que significa que ele está alheio às críticas, comentários da imprensa e da intriga política.

“Talvez tivesse sido melhor viver lá por um tempo para conhecer a mentalidade, mas ninguém pode me acusar de ter favoritos, de ter amigos entre os jogadores, ou preferir qualquer clube”, disse.

“Vim totalmente de fora. Os jogadores foram escolhidos com base no que eu vi e no que conversei com treinadores e olheiros”, contou. “É completamente objetivo.”

ELOGIOS A DUNGA

De acordo com o treinador sueco, ele está sob pressão e a ênfase estará sobre a organização. “No passado a imprensa e o povo da Costa do Marfim esperavam mais do que o que a seleção entregou, então a pressão está sobre o time e temos de lidar com isso”, disse.

“Quando você enfrenta times como Portugal e Brasil, que podem manter a bola e são muito, muito bons tecnicamente, você precisa ser organizado, caso contrário você não terá a bola, e para vencer é preciso ter a bola.”

O treinador da Costa do Marfim também rasgou elogios ao técnico da seleção brasileira, Dunga, que ele comandou por um ano na Fiorentina.

“É sempre bom ver o Brasil jogando futebol”, disse. “Conheço o técnico muito bem, eu o trouxe para a Fiorentina e trabalhei com ele por um ano”, afirmou.

“Mesmo como jogador, taticamente ele conhecia tudo sobre futebol. Ele é um dos melhores jogadores que eu já tive, ele era fantástico, defendendo e atacando”, disse.

“Não estou surpreso que eles sejam extremamente bem organizados, não é fácil marcar contra eles”, comentou, acrescentando que a determinação corre nas veias de Dunga.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below