12 de Junho de 2010 / às 16:00 / em 7 anos

ENTREVISTA-Sul-africano Tshabalala marca seu nome no futebol

Por Mark Glesson

<p>"Foram o melhor gol e partida da minha carreira", disse o meia-atacante da sele&ccedil;&atilde;o sul-africana Siphiwe Tshabalala. 11/06/2010 REUTERS/Henry Romero</p>

JOHANESBURGO (Reuters) - O chute de esquerda de Siphiwe Tshabalala gravou seu nome na consciência dos amantes do futebol com uma atuação individual impressionante no primeiro dia da Copa do Mundo da África do Sul.

“Foram o melhor gol e partida da minha carreira”, disse o meia-atacante da seleção sul-africana sobre seu desempenho no empate em 1 x 1 com o México no estádio Soccer City, em Johanesburgo, que marcou o início do torneio de um mês que terá com 64 jogos.

Seu oitavo gol para o país deu continuidade a uma série espetacular de finalizações pela seleção nos últimos anos, incluindo cobranças de faltas, que se transformaram em sua especialidade.

Isso contrasta com uma temporada decepcionante para Tshabalala em seu clube, cujo objetivo de garantir um lugar na seleção para a Copa do Mundo pareceu distraí-lo de suas performances no time mais popular do país, o Kaizer Chiefs.

Mas seu ritmo, domínio de bola e habilidade fizeram de Tshabalala o grande favorito do técnico da África do Sul, o brasileiro Carlos Alberto Parreira, que o escalou em todos os 13 jogos em que comandou o selecionado sul-africano desde que retomou o cargo, em novembro.

“Fiquei muito, muito feliz por marcar o primeiro gol da Copa do Mundo em meu país e em frente de milhares de torcedores.”

“Esta foi minha 50a partida com a seleção, foi o melhor presente para mim e estou realmente contente”, disse ele à Reuters enquanto a seleção da África do Sul tirou o sábado de folga.

“Estava me saindo bem no jogo, mas sentia que poderia fazer melhor”, contou o jogador de 25 anos, que agora terá esperanças de atrair as atenções de clubes europeus.

No ano passado, seu nome foi ligado com uma possível transferência para a Turquia, mas as especulações da imprensa local provaram ser nada mais do que isso.

No início da semana, Tshabalala falou durante uma coletiva sobre suas raízes e de como cresceu jogando futebol de rua no bairro de Soweto, começando aos oito anos de idade.

“Sempre foi o meu sonho jogar futebol e defender o Chiefs. Fico feliz por ter alcançado isso. Agora, vocês não sabem o quanto sou grato por poder disputar uma Copa do Mundo.”

Tshabalala disse ainda que está confiante na classificação da África do Sul para a próxima fase, apesar do empate com os mexicanos e de sua seleção parecer vulnerável em alguns momentos.

“É bem possível nos classificarmos. Nós mostramos que, com trabalho duro e dedicação, podemos marcar gols. Espero que estejamos mais relaxados na próxima partida.”

O próximo jogo da África do Sul será contra o Uruguai, na quarta-feira, em Pretoria, e completa a tabela do Grupo A diante da França, em Bloemfontein, em 22 de junho.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below