19 de Junho de 2010 / às 11:59 / em 7 anos

Dunga reencontra ex-mentor Eriksson contra Costa do Marfim

Por Pedro Fonseca e Brian Homewood

<p>T&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o brasileira Dunga durante treino da equipe em Johanesburgo, na sexta-feira, 18 de junho de 2010. REUTERS/Paulo Whitaker</p>

JOHANESBURGO (Reuters) - O técnico Dunga vai enfrentar seu ex-comandante Sven-Goran Eriksson quando a seleção brasileira entrar em campo contra a Costa do Marfim, no domingo, em seu segundo jogo na Copa do Mundo da África do Sul, no estádio Soccer City.

Eriksson, ex-treinador da Inglaterra e do México e agora à frente da seleção africana, foi técnico de Dunga na Fiorentina na temporada 1988-89, e disse recentemente que já era possível perceber o conhecimento tático do ex-volante brasileiro há mais de 20 anos, quando Dunga tinha apenas 25.

“Conheço o técnico muito bem, eu o trouxe para a Fiorentina e trabalhei com ele por um ano”, disse. “Mesmo como jogador, taticamente ele conhecia tudo sobre futebol. Ele é um dos melhores jogadores que eu já tive, ele era fantástico, defendendo e atacando.”

“Não estou surpreso que eles sejam extremamente bem organizados, não é fácil marcar gols contra eles”, acrescentou Eriksson, que também já foi comandante do meia da seleção brasileira Elano, no clube inglês Manchester City, na temporada 2008-09. marfinense Didier Drogba, que jogará com uma proteção aprovada pela Fifa após ter fraturado o braço dias antes do início da Copa. Didier Drogba, que jogará com uma proteção aprovada pela Fifa após ter fraturado o braço dias antes do início da Copa.

Os dois também foram adversários quando a Inter de Milão, do zagueiro Lúcio, eliminou o Chelsea, de Drogba, na última Liga dos Campeões. A frustração do atacante foi ainda maior depois que ele acabou expulso no final do jogo de volta das oitavas-de-final.

Lúcio, que não deu espaço para Drogba jogar, reclamou depois do confronto que o marfinense teria tentado intimidá-lo num lance que resultou uma discussão ríspida entre os dois dentro de campo.

“O Chelsea praticamente não jogou no primeiro jogo porque o Lúcio fez uma partida maravilhosa e anulou o Drogba”, disse o goleiro brasileiro Julio César, que também joga na Inter.

O jogo contra a Costa do Marfim será o sexto da seleção brasileira contra africanos em Copas do Mundo. O Brasil venceu os cinco primeiros --Zaire (1974), Argélia (1986), Camarões (1994), Marrocos (1998) e Gana (2006)-- sem jamais ter sofrido gol.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below