6 de Julho de 2010 / às 22:24 / 7 anos atrás

Uruguai caiu com dignidade, afirma técnico

Por Rex Gowar

<p>T&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o uruguaia, Oscar Tabar&eacute;z, no jogo de semifinal da Copa contra a Holanda, na Cidade do Cabo. A sele&ccedil;&atilde;o uruguaia carregou a bandeira sul-americana por mais tempo no torneio, antes de ser eliminada pela Holanda, por 3 x 2. 06/07/2010 REUTERS/Mike Hutchings</p>

CIDADE DO CABO (Reuters) - A seleção uruguaia, último time a se classificar para a Copa do Mundo, carregou a bandeira sul-americana por mais tempo no torneio, antes de ser eliminada pela Holanda, por 3 x 2, na semifinal desta terça-feira.

A odisseia de dois anos e 20 partidas das eliminatórias, repleta de altos e baixos, levou o Uruguai para a África do Sul apenas depois da disputa de uma repescagem contra a Costa Rica.

“Se eu tivesse que escolher uma forma de perder, escolheria desta forma”, disse o técnico Oscar Tabárez depois que sua equipe manteve o resultado da semifinal em dúvida até o apito final.

“Esta foi outra oportunidade para mostrarmos as intenções do Uruguai, jogar de igual para igual acima e abaixo de nossas limitações”, acrescentou ele em entrevista coletiva no Green Point Stadium.

“O jogo de sábado é importante para nós neste sentido”, disse o treinador sobre a disputa pelo terceiro lugar em Port Elizabeth.

“Quando você olha para trás, podemos dizer que estamos entre os quatro semifinalistas, e os outros três são potências da Europa.”

A Copa do Mundo terá um campeão europeu em continente estrangeiro pela primeira vez. A Holanda enfrentará no domingo Alemanha ou Espanha.

Após quatro times sul-americanos chegarem às quartas de final, apenas o Uruguai avançou à semi --Brasil, Argentina e Paraguai ficaram pelo caminho.

“Acredito que poderíamos ter colocado este time que jogou contra nós (Holanda) em dificuldade em algum momento”, disse Tabárez.

“Estou orgulhoso da equipe. Não poderíamos pedir mais destes jogadores. Aceitamos a derrota, nossos rivais foram melhores na frente do gol”, afirmou.

“Eu sabia que a Holanda era boa tecnicamente, que podia marcar em qualquer momento.”

“Agora vimos que o segundo gol estava impedido e a partida poderia ter sido diferente para nós”.

“O time (holandês) tem espírito de ataque, um dos melhores neste torneio, mas nunca desistimos e nosso último gol (nos acréscimos) mostrou que tentamos até o final”, acrescentou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below