7 de Julho de 2010 / às 23:24 / em 7 anos

Puyol, "o tubarão", torna-se um herói improvável

Por Iain Rogers

<p>Carles Puyol (centro) comemora gol com Xavi durante jogo contra a Alemanha nas semifinais da Copa do Mundo. Puyol tornou-se um her&oacute;i improv&aacute;vel na vit&oacute;ria por 1 x 0 nesta quarta-feira, colocando a Espanha na final do Mundial. 07/07/2010 REUTERS/Jerry Lampen</p>

DURBAN (Reuters) - O zagueiro espanhol Carles Puyol tornou-se um herói improvável na vitória por 1 x 0 sobre a Alemanha nesta quarta-feira, colocando a Espanha na final da Copa do Mundo em um time repleto de talentos como David Villa e Andres Iniesta.

Com o relógio indicando uma prorrogação em uma partida tensa, Puyol cresceu em meio a defesa e marcou de cabeça aos 28 minutos do segundo tempo, garantindo a presença espanhola na partida final contra a Holanda, no domingo.

Foi o terceiro gol internacional do jogador, de 32 anos, em sua 89a partida pela seleção, responsável por colocar a Espanha em sua primeira final em Copas.

“Puyol, o tubarão, nos colocou na final”, disse a repórteres o entusiasmado David Villa, seu companheiro de Barcelona. Villa é um dos artilheiros da Copa, com cinco gols.

A performance de Puyol foi “espetacular”, disse Villa. O meia Xabi Alonso completou: “Houve 10 minutos nos quais estávamos acampados fora da área deles mas não marcamos e então Puyol chegou como um selvagem jovem javali e marcou”.

O primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, torcedor do Barcelona, também elogiou o jogador. “Que pulo, que cabeceada de Puyol! Ele é majestoso”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below