24 de Julho de 2010 / às 14:34 / em 7 anos

Segundo na lista, Mano será novo técnico da seleção

Por Eduardo Simões

<p>Mano Menezes, t&eacute;cnico do Corinthians, durante jogo da Copa Libertadores contra Cerro Porteno, em Assun&ccedil;&atilde;o. Menezes anunciou neste s&aacute;bado que ser&aacute; o novo t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o brasileira de futebol. 17/03/2010 REUTERS/Jorge Adorno/Arquivo</p>

SÃO PAULO (Reuters) - Dizendo que não costuma “fugir de convites importantes”, Mano Menezes anunciou neste sábado que será o novo técnico da seleção brasileira de futebol.

“Para todo Brasil, a partir de agora, eu digo que oficialmente aceito o convite do presidente (da CBF) Ricardo Teixeira,” disse Mano em entrevista coletiva no Corinthians, clube onde é atualmente técnico.

Mano disse irá dirigir o Corinthians pela última vez no domingo, contra o Guarani, pelo Campeonato Brasileiro. Na segunda-feira será apresentado oficialmente como técnico, quando poderá fazer a convocação da seleção para o amistoso contra os Estados Unidos, no dia 10 de agosto.

“Eu tenho por linha não fugir de convites importantes e aceitá-los como um grande desafio, porque entendo que durante todo esse tempo você vem se preparando para uma condição cada vez mais importante, cada vez mais grandiosa”, disse. “Essa é a mais grandiosa de todas.”

O convite a Mano, de 48 anos, foi feito depois que a CBF fracassou na tentativa de contratar Muricy Ramalho, do Fluminense. O treinador da equipe carioca afirmou que só assumiria a seleção caso fosse liberado pelo seu clube, o que não ocorreu.

A CBF acabou acertando com Mano, segundo nome numa lista montada pela confederação brasileira ainda na África do Sul, após a derrota para a Holanda nas quartas de final do Mundial.

Perguntado se ficava incomodado com o fato de ser a segunda opção, o treinador disse “muito pelo contrário.”

“Me orgulha muito. Nós devemos ter no futebol brasileiro, uns 30, 40, 50 excelentes profissionais e eu estou em segundo, estou muito bem colocado.”

Também presente na entrevista coletiva, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, disse que preferiu não seguir o exemplo do Fluminense e segurar Mano no Parque São Jorge porque “não queria ser o causador de fazer um ser humano que me ajudou por três anos deixar de realizar um sonho”.

“Eu tenho um coração, sou um ser humano. Eu não poderia negar um sonho de um treinador”, disse o dirigente depois de fazer uma brincadeira com Mano. “Ganha amanhã (contra o Guarani) se não eu não libero.”

De acordo com o dirigente, o Corinthians tem “três ou quatro nomes” para substituir Mano, mas nenhuma decisão foi tomada ainda.

Em nota divulgada no site da CBF, Teixeira exaltou a “coragem” de Mano, no que pode ser visto como uma resposta à negativa que recebeu de Muricy. “Ele mostrou coragem e também orgulho por ter a oportunidade que todo técnico do mundo sonha, que é dirigir a seleção brasileira. Tenho a certeza de que realizará um grande trabalho até 2014 (quando a Copa do Mundo será disputada no Brasil).”

O técnico, que preferiu não falar sobre seus planos à frente da seleção antes de sua apresentação oficial “por respeito ao Corinthians” e por ter acordado isso com Teixeira, recebeu uma homenagem de alguns jogadores, entre elas as estrelas do elenco Ronaldo e Roberto Carlos, que invadiram a coletiva de imprensa aos gritos de parabéns para abraçar o treinador.

TRAJETÓRIA

Luiz Antônio Venker Menezes, o Mano Menezes, reconheceu que esperava um dia chegar ao comando da seleção brasileira, “mas acho que foi mais rápido do que eu pensava”, comentou.

De estilo tranqüilo fora de campo, mas acostumado a esbravejar do lado de fora das quatro linhas quando seu time está em ação, Mano nasceu no dia 11 de junho de 1962, em Passo do Sobrado, no Rio Grande do Sul.

Formado em Educação Física, sua vida no futebol começou como jogador de clubes do interior do Rio Grande do Sul. Ele assumiu a posição de técnico em 1992, nas categorias de base de equipes do Estado. A estreia como treinador de times principais aconteceu em 1997, no Guarani gaúcho.

O treinador conquistou destaque no cenário nacional quando chegou ao Grêmio, em 2005. No tricolor gaúcho, ele levou o time de volta à Série A do Campeonato Brasileiro em sua primeira temporada e, no ano seguinte, classificou o time para a Copa Libertadores ao terminar em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro. Em 2007, ele foi vice-campeão da Libertadores.

Após uma trajetória de sucesso no futebol gaúcho, Mano Menezes aceitou uma proposta do Corinthians para comandar a equipe na segunda divisão nacional, e conseguiu levar o time de volta à elite do futebol brasileiro com a conquista da Série B de 2008.

O primeiro semestre de 2009 foi perfeito para o Corinthians de Mano. Jogando de forma ofensiva, numa formação com três atacantes, a equipe conquistou os títulos do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil, mas não conseguiu repetir o bom desempenho no Brasileirão.

Neste ano, a equipe sofreu a decepção da eliminação na Libertadores para o Flamengo, mas conseguiu colocar a derrota para trás e ocupa a segunda posição do Campeonato Brasileiro, com 21 pontos, um atrás justamente do Fluminense, de Muricy.

Reportagem adicional de Pedro Fonseca

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below