29 de Agosto de 2010 / às 17:53 / em 7 anos

Nadal: vencer o Aberto dos Estados Unidos não é obsessão

Por Simon Cambers

<p>Rafael Nadal, da Espanha, em coletiva no s&aacute;bado durante o Aberto dos Estados Unidos. Nadal precisa apenas do t&iacute;tulo do Aberto dos EUA para completar o Grand Slam, mas o descontra&iacute;do espanhol diz que nunca permitir&aacute; que isso se transforme em uma obsess&atilde;o. REUTERS/Brendan McDermid</p>

NOVA YORK (Reuters) - Rafael Nadal precisa apenas do título do Aberto dos Estados Unidos para completar o Grand Slam, mas o descontraído espanhol diz que nunca permitirá que isso se transforme em uma obsessão.

O jogador de 24 anos e número 1 do mundo chega ao último torneio de Grand Slam de 2010 já tendo vencido Wimbledon e o Aberto da França este ano.

Embora ele ainda não tenha ido além da semifinal em Nova York, Nadal disse que já está mais do que contente com sua carreira, em que já venceu oito Grand Slams.

“Espero ter mais chances de jogar bem aqui e vencer, mas sem obsessão”, declarou Nadal durante coletiva de imprensa em Flushing Meadows, no sábado, dois dias antes do início da competição.

“Estou mais do que feliz com o que tenho em casa, todos os torneios que já venci. É mais do que sonhara cinco, seis anos atrás, então, estou feliz com isso.”

“Agora, tenho o desejo de melhorar meu tênis e jogar bem aqui, e é isso o que estou tentando fazer durante o tempo todo.”

O piso rápido do Aberto dos Estados Unidos reduz o efeito dos golpes com topspin de Nadal, e uma série de contusões tem feito o tenista chegar a Nova York com menos de cem por cento de sua capacidade física.

Depois de conquistar seu segundo título em Wimbledon, em julho, Nadal fez alguns tratamentos para seus problemáticos joelhos, mas disse que estava plenamente em forma e focando em se tornar apenas o sétimo tenista a vencer o Aberto da Austrália, o Aberto da França, Wimbledon e o Aberto dos Estados Unidos.

“Acredito que, se estamos falando genericamente, eu provavelmente cheguei um pouco melhor este ano do que em outros”, afirmou Nadal, cujo primeiro adversário será o russo Teymuraz Gabashvili. “Mas eu disputei duas semifinais nos últimos dois anos, então, não foi um mau resultado. Eu estava lá.”

“Fisicamente estou bem. Estou sempre bem mentalmente, somente uma vez, em 2008, quando perdi a semifinal para Andy Murray estava cansado demais para vencer o torneio.”

Nadal parecia um pouco enferrujado em seu retorno nos Masters de Toronto e Cincinnati, no início deste mês, mas disse que não havia razão para que ele não vencesse em Nova York.

“Depois de alguns anos, estou jogando cada vez melhor este torneio, mas ainda é difícil jogar na quadra central, que tem mais vento do que o resto dos outros Grand Slams.”

“Às vezes, quando você está contra o vento, parece que você não está movendo a bola. Mas eu me saí bem. Quando você está na semifinal por dois anos, por que não?”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below