9 de Março de 2011 / às 16:13 / em 7 anos

Força de ataque brasileiro impulsiona Shakhtar na Liga dos Campeões

Por Igor Nitzak

<p>O brasileiro Willian do Shakhtar Donetsk (dir) e Darijo Srna comemoram durante jogo da Liga dos Campe&otilde;es contra o Roma em Donetsk, na Ucr&acirc;nia. 08/03/2011 REUTERS/Gleb Garanich</p>

KIEV (Reuters) - O Shakhtar Donetsk alertou as equipes mais consagradas da Europa para o talento de seu time, que conta com um forte ataque brasileiro e uma teimosa defesa ao estilo leste europeu, antes de ser visto como adversário fácil na próxima etapa da Liga dos Campeões.

O Shakhtar derrotou a Roma por 6 x 2 no placar agregado na terça-feira para se tornar a primeira equipe ucraniana a chegar às quartas-de-final depois do Dynamo Kiev, que chegou às semifinais em 1999.

O Barcelona ainda é, por enquanto, o único time garantido na próxima rodada que começa em 18 de março, mas Real Madrid, Manchester United e Chelsea são possíveis adversários se superarem os empates e vencerem nas oitavas.

“Há alguns grandes nomes (possivelmente) nas quartas-de-final e eu posso dizer com antecedência que qualquer um deles estará contente em enfrentar o Shakhtar”, disse o dono do clube e o homem mais rico da Ucrânia, Rinat Akhmetov, a jornalistas na quarta-feira.

O Shakhtar, com sede na cidade mineira de Donetsk, no leste da Ucrânia, é composto por um grupo de jovens brasileiros meio-campistas e atacantes financiados pelo bilionário Akhmetov.

Os jogadores brasileiros, como o meia-atacante Willian, marcaram 12 dos 18 gols do Shakhtar nos últimos jogos das quartas-de-final da Liga dos Campeões.

“Temos jogadores jovens e talentosos. Eles são muito rápidos e têm um grande futuro”, disse o romeno Mircea Lucescu, técnico do Shakhtar há seis anos.

Willian, de 22 anos, que levou três anos para se adaptar ao clima de Donestsk, marcou dois gols no frio do estádio Donbass Arena na terça-feira, contribuindo para a vitória de 3 x 0.

Entre os outros brasileiros da equipe estão Douglas Costa, de 20 anos, que deixou o Grêmio e se juntou ao time por seis milhões de euros (8,33 milhões de dólares), marcou contra a Roma no Stadio Olimpico, para dar a vantagem de 3 x 2 na partida de ida.

O meia brasileiro Jádson, de 27 anos, que também marcou contra a Roma, tornou-se o maior artilheiro do Shakhtar, com 16 gols em todas as competições europeias.

Lucescu também conta com jogadores do leste europeu, especialmente na defesa.

O capitão Dario Srna já é cobiçado por muitos dos maiores clubes europeus, mas o meia croata decidiu ficar no Shakhtar onde, aos 28 anos, é um dos jogadores mais experientes do time.

O zagueiro Dmytro Chygrynskiy tornou-se o jogador mais caro da Ucrânia depois de ser comprado por 25 milhões de euros (34,72 milhões) pelo Barelona.

Reportagem de Igor Nitzak

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below