28 de Março de 2011 / às 15:45 / 7 anos atrás

Blatter cobra ao Brasil que acelere preparativos para Copa 2014

Por Brian Homewood

<p>Presidente da Fifa, Joseph Blatter, durante confer&ecirc;ncia em Genebras. Blatter alertou o Brasil que o pa&iacute;s precisa acelerar os preparativos para sediar a Copa do Mundo de 2014. 28/03/2011 REUTERS/Denis Balibouse</p>

GENEBRA (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, alertou o Brasil nesta segunda-feira que o país precisa acelerar os preparativos para sediar a Copa do Mundo de 2014, dizendo aos brasileiros que o torneio será “amanhã”, e não “depois de amanhã”.

“Gostaria de transmitir a meus colegas brasileiros, em relação à Copa de 2014, que ela será amanhã. Os brasileiros estão pensando que será depois de amanhã”, disse ele a jornalistas.

“Estamos esperando ver um pouco de boa fé. As coisas não estão avançando rapidamente.”

“Se comparamos a África do Sul (que sediou a Copa em 2010) e o Brasil três anos antes da Copa do Mundo, o Brasil ainda não avançou tanto quanto a África do Sul em seus preparativos.”

“Se o Brasil continuar assim, não haverá partidas da Copa das Confederações no Rio de Janeiro ou em São Paulo.”

A Copa das Confederações acontece um ano antes da Copa do Mundo no mesmo país que sedia o Mundial, sendo usada como ensaio final dos estádios principais.

Blatter acrescentou que, em função de divergências entre políticos brasileiros, ainda não está claro onde será realizado o sorteio das eliminatórias, previsto originalmente para acontecer no Rio de Janeiro em julho deste ano.

Em São Paulo, onde participou de um encontro com empresários, o ministro dos Esportes, Orlando Silva, minimizou as declarações do presidente da Fifa e garantiu que a maior parte das obras está “a pleno vapor”.

“Eu entendo a preocupação e a ansiedade da Fifa. Nós não temos que debater com a Fifa, temos que trabalhar para fazer com que esse cronograma se aproxime do seu cumprimento”, disse o ministro a jornalistas na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

“Vou convidar o presidente da Fifa para vir ao Brasil conhecer detalhes da preparação do país. Tenho certeza que ele vai ficar muito seguro que o Brasil realizará um grande Mundial.”

Segundo o ministro, dos 12 estádios que serão construídos para a Copa, 10 estão com obras em andamento. As únicas exceções são os estádios de Natal e São Paulo.

“A indefinição aqui em São Paulo criou alguma insegurança para a Fifa, mas o empenho do prefeito e do governador, do Corinthians e de algumas grandes empresas brasileiras nos dão segurança de que também em São Paulo nós teremos uma boa solução”, avaliou.

De acordo com o ministro, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito da capital paulista, Gilberto Kassab, se reuniram com a presidente Dilma Rousseff no final de fevereiro e deram a ela garantias de que o estádio a ser construído pelo Corinthians no bairro de Itaquera, zona leste da capital paulista, ficará pronto a tempo.

CBF EMITE NOTA

Após as críticas de Blatter, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) repetiu nesta segunda-feira um comunicado do dia 2 de março segundo o qual Blatter fez elogios à preparação do país para o Mundial.

“Durante a primeira reunião do conselho Fifa/comitê organizador local, em Zurique, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse que 'é muito bom ver o comprometimento e progresso feito pelo comitê organizador local’”, informou a CBF em seu site.

“A opinião de Blatter é compartilhada pelos executivos da entidade, que já se manifestaram em diversas reuniões sobre o grau adiantado de várias áreas da preparação do comitê organizador local em comparação a outras edições da Copa do Mundo da Fifa.”

ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO

Blatter, que em junho disputará a presidência da Fifa com um candidato concorrente --Mohamed Bin Hamman, da Confederação Asiática de Futebol-- reafirmou que confia na capacidade do comitê ético da Fifa de combater a corrupção, mas também tem um plano novo.

“Vou apresentar algo muito especial ali (no Congresso da Fifa em junho), mas não vou revelar o teor agora --é para combater a corrupção, todas as fraudes e a discriminação”, disse ele.

No ano passado a Fifa foi abalada por um escândalo de corrupção quando dois membros de seu comitê executivo foram expulsos por terem se oferecido a vender seus votos na disputa dos países que vão sediar as Copas de 2018 e 2022 a jornalistas que se fizeram passar por outras figuras.

Blatter rejeitou sugestões de que a Fifa deveria autorizar investigações externas sobre seus assuntos.

“Seria como a Suíça pedir que a França, Alemanha ou Itália votassem em seu lugar na eleição do conselho federal”, disse ele.

Blatter, que tem 75 anos e preside a Fifa desde 1998, rejeitou sugestões de que deveria dar lugar a um homem mais jovem.

“A idade não é questão do número de anos de vida, é uma questão de o que você é capaz de fazer”, disse ele. “É o Congresso da Fifa que vai decidir se estou velho demais ou não.”

Com reportagem de Tatiana Ramil em São Paulo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below