4 de Julho de 2011 / às 21:33 / em 6 anos

Ministro diz que Brasília é candidata forte a abrir Copa 2014

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Com as obras do novo estádio de Brasília dentro do cronograma, a capital federal é uma forte candidata a receber o jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014, disse nesta segunda-feira o ministro do Esporte, Orlando Silva.

Apesar de São Paulo ser a cidade favorita do comitê organizador local para dar início ao Mundial, a construção do novo estádio do Corinthians começou apenas em maio, com atraso, e a cidade já foi descartada pela Fifa para a Copa das Confederações de 2013 porque a arena não estará concluída a tempo.

“Creio que Brasília, na medida em que cumpre com seu cronograma, credencia-se fortemente para poder receber a abertura do Mundial em 2014”, disse o ministro a jornalistas em Brasília, após a primeira vistoria antibomba de bombeiros e polícia em um estádio da Copa, segundo nota do Ministério do Esporte.

Belo Horizonte e Salvador, que assim como Brasília estão com as obras em andamento, são as outras candidatas a receber o jogo de abertura da Copa do Mundo.

A Fifa vai anunciar em outubro a cidade-sede do primeiro jogo da competição, assim como o calendário da Copa e as cinco sedes da Copa das Confederações. O anúncio, que seria feito em julho no Rio de Janeiro, foi adiado após novas críticas feitas pela Fifa ao ritmo dos preparativos do Brasil para o Mundial.

Em Brasília, o governo distrital vai iniciar o trabalho em três turnos no novo estádio para garantir que a obra seja concluída dentro do prazo, até dezembro de 2012.

“Ainda vamos adotar um terceiro turno na obra nos próximos dias. Isso indica que vamos entregar o estádio no tempo combinado, com todo rigor, todas as exigências da Fifa”, disse o governador Agnelo Queiroz (PT).

ROMÁRIO FAZ NOVAS CRÍTICAS

O ex-jogador e deputado federal Romário (PSB-RJ), que tornou-se um dos mais ávidos críticos da preparação brasileira para a Copa, voltou a questionar nesta segunda-feira os custos com o evento esportivo. Segundo ele, os recursos deveriam ser revertidos para áreas mais carentes do país como saúde, educação e saneamento.

“Acho que está havendo um exagero do gasto para a Copa do Mundo em todos os sentidos”, disse o ex-atacante da seleção brasileira em evento no Rio de Janeiro.

“Nossa saúde, educação e o esporte como um todo, infelizmente, não vão mudar em nada. Espero que, como faltam três anos, as pessoas comecem a olhar melhor esses gastos e vejam a falta de gastos nas outras áreas... são gastos exorbitantes e que passam do normal.”

Romário, que participou do evento de gala na Suíça quando o Brasil foi confirmado como sede da Copa do Mundo de 2014, convidou recentemente o presidente da CBF e do comitê organizador da Copa, Ricardo Teixeira, a prestar esclarecimentos no Congresso.

Por Pedro Fonseca, com reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below