22 de Setembro de 2011 / às 19:49 / em 6 anos

Mano reconhece que Brasil é a 5a força do futebol mundial

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Sob comando de Mano Menezes, a seleção brasileira caiu para o segundo pior resultado de sua história no ranking da Fifa esta semana, e o treinador admitiu, na quinta-feira, que o Brasil hoje não está mais entre os melhores times do mundo.

Foto de arquivo do técnico do Brasil, Mano Menezes, em entrevista coletiva. 18/07/2011 REUTERS/Paulo Whitaker

Eliminado nas quartas de final da Copa América em julho e sem ter vencido nenhum adversário de primeira grandeza após um ano de trabalho do novo treinador, o Brasil apareceu em 7o lugar no ranking anunciado pela Fifa na quarta-feira.

O resultado é o pior desde agosto de 1993, quando o Brasil ficou em oitavo lugar, e deixa o país atrás de times que nunca foram campeões do mundo, como Portugal e Holanda, no ranking da federação internacional

“Vejo quatro seleções que estão à nossa frente: Alemanha, Espanha, Holanda e Uruguai”, disse o treinador a jornalistas. No ranking, o Brasil aparece ainda atrás de Portugal e Itália.

“Essas outras duas estão no mesmo nível de nós e aquém das outras. Depende de um mês mais favorável ou não. Temos quatro seleções com desempenho, estágio e equipes acima da seleção brasileira. São parâmetros a seguir para superar”, acrescentou.

Desde que assumiu a seleção brasileira, Mano Menezes ainda não conseguiu uma vitória de peso sobre uma equipe de expressão mundial. O Brasil perdeu para Argentina, França e Alemanha, além do empate em casa sem gols com a Holanda

Na semana que vem, o Brasil joga contra a Argentina, em Belém, apenas com jogadores que atuam no futebol local, e, em outubro, enfrentará duas seleções de força intermediária: Costa Rica e México.

“Quando não vence os melhores fica claro que você não está no nível porque eles são melhores em determinado momento”, disse o treinador.

Ciente da pressão por bons resultados, Mano prometeu uma equipe mais incisiva no amistoso contra a Argentina. Mano não ficou satisfeito com a atuação brasileira no 0 x 0 , em Córdoba, na Argentina, no dia 14. Ele admite até mudança no esquema tática que até então era o 4-3-3.

“Vamos ser diferentes do que foi em Córdoba. Precisamos nos impor mais em campo e temos que jogar melhor do que lá. Entre Brasil e Argentina o melhor é ganhar. Há uma paridade, mas não devemos abrir mão de jogar bem”, avaliou o treinador.

A campeã mundial e europeia Espanha desbancou a vice-campeã do mundo Holanda da liderança do ranking da Fifa este mês. A Alemanha está em terceiro, enquanto o Uruguai, campeão da Copa América, é o quarto.

Por Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below