13 de Agosto de 2012 / às 11:23 / em 5 anos

Orçamento da Rio-2016 não deve superar previsão inicial, diz ministério

LONDRES, 13 Ago (Reuters) - O orçamento final dos Jogos de 2016 no Rio de Janeiro, ainda não divulgado e que foi motivo de cobrança do Comitê Olímpico Internacional (COI), deve ficar dentro dos 28 bilhões de reais estimados na proposta de candidatura da cidade para receber o evento, disse nesta segunda-feira o secretário executivo do Ministério do Esporte, Luís Fernandes.

Os organizadores da Olimpíada do Rio ainda trabalham no orçamento detalhado do megaevento esportivo e dependem da elaboração dos projetos executivos das obras a serem realizados para poder fechar o valor que será gasto.

O fato de ainda não se ter um orçamento a quatro anos dos Jogos foi motivo de crítica do presidente do COI, Jacques Rogge, antes do encerramento da Olimpíada de Londres, no domingo.

De acordo com Fernandes, que é a autoridade do governo federal responsável diretamente pela organização dos Jogos de 2016 e da Copa do Mundo de 2014, o valor de 28 bilhões de reais previstos em 2009 na candidatura da cidade deve ser respeitado.

“Todos os nossos estudos até aqui apontam para a possibilidade da manutenção dos valores dentro do que foi estipulado dentro da proposta de candidatura. Estamos confiantes que será possível manter esses investimentos dentro desse teto”, disse Fernandes a jornalistas na capital britânica.

A prefeitura do Rio e o comitê de organizadores dos Jogos, no entanto, já indicaram no passado que o valor não poderia ser levado em conta já que alguns projetos previstos na candidatura foram alterados, como a maior participação da zona portuária carioca no cenário olímpico.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, que recebeu a bandeira olímpica na cerimônia de encerramento dos Jogos de Londres no domingo, estimou que o custo fechado dos Jogos será divulgado em meados do ano que vem, três anos antes do evento.

Ele disse, no início do mês, que ainda não foi definido se o orçamento incluirá gastos que podem ser classificados como política pública e parceria público-privada, entre elas corredores expressos para ônibus e a revitalização de bairros da cidade.

A obra de reforma do Maracanã para a Copa do Mundo de 2014, com custo de 860 milhões de reais, não faz parte do orçamento olímpico, segundo Fernandes. O estádio será palco das cerimônias de abertura e encerramento dos Jogos, além de partidas de futebol.

Além da cobrança sobre o orçamento, o Rio já recebeu alertas do COI de que o tempo para se preparar é curto e que as obras precisam ser feitas dentro do prazo.

O Parque Olímpico, que vai receber a maioria das competições esportivas, ainda está em fase de demolição do autódromo que existe atualmente no local, e as obras de outras arenas ainda nem começaram.

A cidade, no entanto, já iniciou obras de mobilidade urbana na Barra da Tijuca, onde ficará o parque, e vai poder aproveitar estádios que foram feitos para os Jogos Pan-Americanos de 2007, incluindo o Estádio Olímpico João Havelange.

Reportagem de Pedro Fonseca

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below