18 de Janeiro de 2013 / às 13:57 / 5 anos atrás

"Episódio obscuro" de Armstrong é dia triste para esporte, diz COI

Por Karolos Grohmann

Escultura com caricatura do ciclista norte-amerincano Lance Armstrong é queimada durante festividades em Edenbridge, no sudeste da Inglaterra, em novembro. A confissão de Armstrong sobre os anos de doping sistemático em sua carreira marcou um dia triste para o esporte, disse nesta sexta-feira o Comitê Olímpico Internacional (COI), que pediu ao ex-campeão do ciclismo que forneça evidências para acabar com "este episódio obscuro". 03/11/2012 REUTERS/Toby Melville

18 Jan (Reuters) - A confissão de Lance Armstrong sobre os anos de doping sistemático em sua carreira marcou um dia triste para o esporte, disse nesta sexta-feira o Comitê Olímpico Internacional (COI), que pediu ao ex-campeão do ciclismo que forneça evidências para acabar com “este episódio obscuro”.

Em uma entrevista ao programa de Oprah Winfrey, na TV norte-americana, na quinta-feira, Armstrong disse ter “falha de caráter” e admitiu ter usado doping durante a carreira, o que o coloca no centro de um dos maiores escândalos do esporte mundial.

Sobrevivente de câncer, Armstrong admitiu ter usado vários métodos de doping, incluindo EPO (eritroproietina, um tipo de hormônio) e transfusões de sangue para conquistar sete vitórias na Volta da França. Durante muitos anos ele havia negado veementemente ter recorrido ao doping para vencer.

“Não pode haver lugar para o doping no esporte e o COI condena sem reservas as ações de Lance Armstrong e de todos aqueles que buscam uma vantagem injusta contra seus colegas concorrentes tomando drogas”, disse o COI em um comunicado.

“Este é realmente um dia muito triste para o esporte, mas há um lado positivo, se estas revelações puderem estabelecer uma linha divisória em relação às práticas anteriores.”

Horas antes da entrevista, o COI anunciou que tinha despojado Armstrong de sua medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de 2000.

“Nós agora exortamos Armstrong a apresentar todas as provas que tem às autoridades antidoping para que possamos pôr fim a este episódio obscuro e sigamos em frente, mais fortes e mais limpos”, disse.

Os sete títulos de Armstrong na Volta da França já tinham sido retirados dele, que também foi banido para sempre da modalidade pela União Ciclística Internacional (UCI), em outubro, depois que vários competidores testemunharam que ele usava drogas.

A UCI também retirou de Armstrong --que nunca foi flagrado em um exame antidoping-- todos os resultados desde 1o de agosto de 1998.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below