23 de Março de 2013 / às 15:12 / em 5 anos

Sem sorte e "fator X", Espanha teme a repescagem

Por Mark Elkington

MADRI, 23 Mar (Reuters) - A viagem da Espanha para enfrentar a líder França na próxima terça-feira ganhou mais importância depois de um surpreendente empate por 1 x 1 com a Finlândia, que deixou a atual campeã do mundo com a perspectiva de precisar jogar a repescagem para garantir vaga na Copa do Mundo de 2014.

Uma determinada defesa finlandesa e um gol de Teemu Pukki, aos 34 minutos do segundo tempo, no contra-ataque, deixaram a equipe de Vicente del Bosque em segundo lugar no Grupo I, dois pontos atrás da França, a quatro jogos do fim das eliminatórias europeias.

Apenas um time de cada grupo ganha classificação direta na Copa do Mundo do Brasil, no ano que vem. Os oito melhores segundos colocados se enfrentam na repescagem.

“Mais um grande tropeço”, foi a manchete do jornal esportivo Marca neste sábado, referindo-se ao segundo empate consecutivo em casa, depois do 1 x 1 com a França, em outubro.

“A Copa do Mundo está em perigo”, diz a primeira página do Sport. Mas a mensagem do próprio time é menos alarmista.

“Nós dominamos completamente os 90 minutos, mas não tivemos muita sorte no último terço”, afirmou o técnico Del Bosque, que guiou o time à vitória na Copa de 2010 e na Eurocopa de 2012.

“Uma varinha mágica nos deu muita sorte nos últimos anos, mas não conseguimos nenhuma desta vez”.

“Não tem necessidade de sermos pessimistas porque nosso destino ainda está em nossas mãos. Precisamos ir para a França e vencer. Depois disso, ainda há três jogos”.

O treinador finlandês, Mixu Paatelainen, afirmou que estudou as partidas do Barcelona para encontrar a melhor forma de segurar a Espanha, que começou jogando com sete atletas da equipe que lidera o Campeonato Espanhol.

O jogo lembrou a segunda partida da semifinal da Liga dos Campeões da temporada passada entre Barça e Chelsea, quando o time inglês conseguiu arrancar um empate e avançar de fase, apesar de uma vantagem arrasadora dos anfitriões na posse de bola.

“Nós assumimos um risco com uma tática de gato e rato, e funcionou bem”, afirmou Paatelainen. “Conseguimos frustrar a Espanha”.

A França dificilmente vai usar a mesma tática em Paris, e a Espanha também estará melhor equipada para lidar com uma forte defesa, pois os meias Xavi e Xabi Alonso vão retornar à equipe na próxima terça-feira. A experiente dupla descansou na sexta-feira, pois estão se recuperando de lesões.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below