28 de Abril de 2013 / às 01:32 / em 5 anos

Brasil vai dar resposta a críticos, diz Ronaldo na abertura do Maracanã

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 27 Abr (Reuters) - Com o Maracanã finalmente inaugurado, apesar das obras inacabadas dentro e fora do estádio que será palco da final da Copa do Mundo de 2014, o ex-atacante e atual membro do Comitê Organizador Local Ronaldo afirmou, neste sábado, que o Brasil vai dar uma lição aos críticos que duvidavam da capacidade do país de se preparar para a competição.

O estádio, reformado para a Copa ao custo de cerca de 900 milhões de reais e que tinha prazo para conclusão das obras em dezembro de 2012, é o quarto a ser inaugurado entre os 12 do Mundial e os seis da Copa das Confederações, que acontece de 15 a 30 de junho deste ano.

Apenas 30 por cento da capacidade da arquibancada foi utilizada, uma vez que somente dois portões de acesso estão prontos, um pedaço da arquibancada não tem cadeiras e parte do entorno do estádio ainda é um verdadeiro canteiro de obras. Operários que trabalharam na reforma e seus familiares, além de convidados, formaram o público.

Ronaldo, que liderou uma equipe formada principalmente por ex-jogadores na partida da reinauguração contra um time comandado pelo também ex-jogador Bebeto (também membro do COL), elogiou o novo estádio. Segundo ele, o Maracanã está entre os melhores estádios do mundo e mostra que o Brasil realizará uma Copa do Mundo bem-sucedida.

“O Brasil vai dar uma grande lição ao mundo todo e a todos aqueles que não acreditavam que seria possível realizar essa Copa do Mundo e a Copa das Confederações”, disse Ronaldo a repórteres em entrevista no gramado no intervalo da partida.

“Mais um estádio entregue. Foi de última hora, mas está bom. Estamos contentes com o resultado. O estado do gramado está sensacional. A arquibancada está linda, as instalações internas também, tudo está muito bom”, acrescentou.

O Brasil foi alvo frequente de críticas da Fifa por causa do ritmo dos preparativos para a Copa do Mundo. Em março do ano passado, o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, chegou a dizer que o país precisava de um “chute no traseiro” para acelerar a preparação.

As preocupações inicialmente se concentravam nas obras de infraestrutura, como ampliação da capacidade de aeroportos e obras de mobilidade urbana, mas os estádios também passaram a ser alvo de críticas à medida que as obras atrasaram.

Apenas Fortaleza e Belo Horizonte cumpriram o cronograma inicial da Copa das Confederações e entregaram os estádios em dezembro do ano passado, enquanto Salvador inaugurou a Fonte Nova no início de abril. A Arena Pernambuco, em Recife, teve encerrada a fase de construção civil este mês e receberá um primeiro evento-teste em 14 de maio, enquanto o estádio de Brasília teve a inauguração adiada para 18 de maio.

“MÍSTICA”

A presidente Dilma Rousseff esteve na reinauguração do Maracanã, ao lado do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Dilma, no entanto, deixou o estádio antes do final do primeiro tempo da partida e não fez qualquer declaração pública.

“Ela disse que nunca viu nada igual”, afirmou à Reuters o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.

A reforma, a maior e mais cara de três obras realizadas desde 1999, transformou completamente o Maracanã. Do gigante que no passado reunia com frequência públicos superiores a 100 mil torcedores, só restou o casco, que é tombado como patrimônio histórico. A capacidade atual é de quase 79 mil pessoas.

A principal mudança foi nas arquibancadas. Em vez dos antigos dois anéis, agora existe uma inclinação única desde o topo do estádio até a beira do campo, o que garante uma boa visibilidade de qualquer lugar, de acordo com os responsáveis pela obra. Há também uma nova cobertura, que se estende sobre quase toda a arquibancada, e quarto telões de alta definição.

Segundo Bebeto, ex-jogador de Flamengo, Vasco e Botafogo, apesar das reformas o Maracanã manteve a “mística”.

“O Maracanã continua especial e tenho certeza que o Brasil vai estar na final da Copa de 2014, mesmo com as críticas que vem recebendo”, disse a jornalistas.

Do lado de fora do estádio, houve protesto de manifestantes contrários à privatização do estádio, e a polícia prendeu cambistas que tentavam revender ingressos dados aos operários para assistir à partida.

A conclusão das obras do Maracanã está prevista para 27 de maio, e no dia 2 de junho o estádio terá o único evento-teste completo antes da Copa das Confederações, o amistoso Brasil x Inglaterra.

Com reportagem adicional de Rodrigo Viga Gaier; Edição de Maria Pia Palermo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below