10 de Maio de 2013 / às 14:58 / em 5 anos

Real Madrid impõe lei do silêncio para acabar com guerra de palavras

MADRI, 10 Mai (Reuters) - O Real Madrid decidiu não realizar a tradicional entrevista coletiva de prévia de suas partidas nesta sexta-feira em uma aparente tentativa de pôr fim à guerra de palavras entre o técnico José Mourinho e membros do elenco.

Técnico do Real Madrid, José Mourinho, antes do início de partida da primeira divisão do campeonato espanhol de futebol contra o Málaga, no estádio Santiago Bernabeu, em Madri, 8 de maio de 2013. O Real Madrid decidiu não realizar a tradicional entrevista coletiva de prévia de suas partidas nesta sexta-feira em uma aparente tentativa de pôr fim à guerra de palavras entre o técnico José Mourinho e membros do elenco. 08/05/2013 REUTERS/Susana Vera

A equipe nove vezes campeã da Europa visita o Espanyol no sábado e, caso não vença, dará de presente ao arquirrival Barcelona o quarto título espanhol em cinco anos.

Mesmo que o Real conquiste a vitória, o Barça precisa apenas de mais dois pontos para garantir o troféu, que pode ser conquistado em Madri, na partida contra o Atlético no domingo.

A polêmica de Mourinho com o goleiro e capitão da equipe Iker Casillas há uma semana foi seguida de uma defesa de Pepe do companheiro de equipe no último sábado, o que trouxe à tona as divisões dentro do vestiário merengue.

O presidente do clube, Florentino Pérez, fez uma rara entrada sob os holofotes na segunda-feira para pedir unidade nas últimas três semanas da temporada, mas Mourinho ignorou o pedido e falou contra Casillas e Pepe na terça-feira.

A torcida no estádio Santiago Bernabeu cantou o nome de Casillas quando ele apareceu no placar eletrônico entre os reservas antes da goleada de 6 x 2 sobre o Málaga pelo Campeonato Espanhol na quarta, enquanto Mourinho foi vaiado por grande parte do estádio.

Após o jogo Xabi Alonso e Raul Albiol, que também defendem a seleção espanhola, fizeram um apelo pela união do clube antes da final da Copa do Rei contra o Atlético de Madri, no dia 17 de maio, a última chance do Real levantar um troféu importante nesta temporada.

O futuro de Mourinho na capital espanhola tem sido alvo de grande especulação desde que o Real não conseguiu chegar à final da Liga dos Campeões, apesar de ele ter contrato com o clube até 2016.

O treinador português de 50 anos fez pouco para afastar os rumores de que voltaria a comandar o Chelsea, ao mesmo tempo que seus ataques contra Casillas e Pepe foram interpretados como evidência de que seu tempo à frente do Real está chegando ao fim.

Reportagem de Mark Elkington

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below