12 de Outubro de 2013 / às 12:59 / em 4 anos

Felipão diz que Brasil vai sentir cansaço de longa viagem à Ásia

Por Narae Kim

Técnico da seleção brasileira, Felipe Scolari, responde a perguntas de jornalistas durante coletiva de imprensa em Seul. O cansaço da longa viagem e o fuso horário devem prejudicar o desempenho da seleção brasileira no amistoso de sábado contra a Coreia do Sul, em Seul, disse Scolari nesta sexta-feira. 11/10/2013. REUTERS/Kim Hong-Ji

SEUL, 11 Out (Reuters) - O cansaço da longa viagem e o fuso horário devem prejudicar o desempenho da seleção brasileira no amistoso de sábado contra a Coreia do Sul, em Seul, disse o técnico Luiz Felipe Scolari nesta sexta-feira.

“Como muitos estavam cansados depois de 30 horas de voo, treinamos um dia na piscina coberta e passamos outro dia fazendo uma atividade física leve”, disse Felipão a jornalistas. “Não esperamos nada. Nossos jogadores não terão as melhores condições amanhã.”

O treinador garantiu que o atacante Neymar terá condições de jogo contra os sul-coreanos, apesar de ter deixado um treino na quinta-feira após levar uma pancada.

Apesar do cansaço, a seleção brasileira é favorita contra a Coreia do Sul, que se classificou a duras penas para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil.

Mas Felipão demonstrou respeito pela seleção adversária, comandada desde junho pelo ex-jogador Hong Myung-bo. “A Coreia do Sul tem jogado muito bem. Está chegando à sua oitava Copa do Mundo. O histórico mostra que é um time forte.”

Mas os resultados recentes contrariam isso. O time goleou recentemente o fraco Haiti por 4 x 1, mas depois perdeu em casa por 2 x 1 para a Croácia, e despencou para 58º lugar no ranking da Fifa. Sua pior colocação foi o 62º lugar, em 1996.

O meio-campista Ramires ecoou o sentimento do treinador sobre os efeitos da viagem até Seul. “Minha condição, para falar a verdade, não é tão boa devido à diferença de fuso de 12 horas, mas nos preparamos muito para esse jogo. Vamos fazer dele um bom jogo”, disse o jogador do Chelsea.

“Uma das razões importantes para termos chegado mais cedo do que o habitual à Coreia é superar o jet-lag.”

No último amistoso preparatório para a Copa, em setembro, o Brasil goleou a Austrália por 6 x 0, mas Ramires disse que a Coreia do Sul, bicampeã asiática e semifinalista na Copa de 2002, será um desafio muito mais duro.

“Ouvi dizer que 80 por cento dos jogadores do time coreano estão atualmente jogando no exterior, o que significa que o jogo de amanhã será difícil”, alertou.

David Luiz, colega de Ramires no Chelsea, admitiu saber pouco sobre os adversários, dizendo que só conhece dois jogadores sul-coreanos: Kim Bo-kyung, que ele descreveu como “um meia excepcional”, e Son Heung-min.

Depois do jogo de sábado, o Brasil viaja para a China onde enfrenta Zâmbia na terça-feira.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below