31 de Outubro de 2013 / às 20:49 / 4 anos atrás

ENTREVISTA-Lucas diz que estará na seleção brasileira para a Copa do Mundo

Por Olivier Guillemain

PARIS, 31 Out (Reuters) - O meia-atacante Lucas, do Paris St. Germain, disse estar confiante de que fará parte da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2014, que será disputada no Brasil, apesar de o técnico Luiz Felipe Scolari ter alertado de que ele precisa jogar com mais frequência por seu clube.

Lucas foi deixado de fora da lista de Felipão para os amistosos que a seleção fará em novembro contra Chile e Honduras, como parte da preparação para o Mundial do ano que vem.

Lucas, que chegou ao PSG vindo do São Paulo em janeiro numa transação que teria chegado a 45 milhões de euros (61,97 milhões de dólares), foi titular em apenas cinco dos 11 jogos que a equipe disputou no Campeonato Francês nesta temporada.

“É verdade que eu não sou frequentemente titular, mas no PSG há muita rotação”, disse ele em entrevista à Reuters. “Quando entro em campo, me sinto bem e não acho que essa situação impedirá que eu jogue a Copa do Mundo.”

Em agosto Felipão alertou seus jogadores que eles precisam estar atuando por seus clubes se quiserem ser incluídos na equipe para o Mundial no Brasil.

Lucas atuou em todas as três partidas que o PSG fez pela Liga dos Campeões nesta temporada, mas começou duas delas no banco, pois o técnico Laurent Blanc preferiu iniciar a partida com Ezequiel Lavezzi.

Com um ataque que conta com Zlatan Ibrahimovic e Edinson Cavani, não é surpresa que Lucas esteja sendo preterido, embora ele afirme que se juntar aos atuais campeões franceses melhorou seu futebol.

OUTRAS QUALIDADES

“Há muita competição aqui entre os atacantes estrangeiros como Ibrahimovic, Cavani e Lavezzi”, disse o jogador de 21 anos. “Aprendi muito aqui, estou crescendo. No Brasil, não pediam que eu defendesse tanto, agora é algo que eu consigo fazer”, comentou.

“A ideia de que eu não tenho marcado gols surgiu, é verdade, mas não sou um finalizador... Tenho outras qualidades e outras tarefas em campo --ajudar a trazer velocidade e mudanças no ritmo do jogo.”

Embora o tempo de Lucas dentro de campo esteja sendo reduzido, ele diz estar aproveitando a vida na capital francesa.

“Me sinto muito feliz em Paris. Se adaptar não é fácil por causa da língua, o clima e os costumes”, explicou.

“Mas me sinto bem em campo, não sinto a pressão relacionada ao preço da minha transferência. Não tenho desejo de sair.”

O PSG tem um longo histórico de relacionamento com o Brasil. Os ex-são-paulinos Leonardo e Raí jogaram pelo clube e a transferência de Lucas foi facilitada pela presença de outros brasileiros no time, como o zagueiro Thiago Silva.

“Dentro de campo ele é um monstro, alguém espetacular, o melhor em sua posição”, disse Lucas sobre Thiago Silva.

“Somos amigos. Aprendo muito com ele. Ele tem me ajudado muito a me adaptar, assim como os outros brasileiros --Maxwell, Marquinhos, Alex e (o brasileiro naturalizado italiano) Thiago Motta”, disse.

“Somos todos bons amigos neste grupo de brasileiros.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below