8 de Maio de 2014 / às 15:48 / em 4 anos

Messi busca o prêmio maior com título mundial

Por Tim Hanlon

BARCELONA, 8 Mai (Reuters) - Depois de tantas conquistas com o Barcelona, Lionel Messi tem a chance de liderar a Argentina à glória na Copa do Mundo e construir a sua reputação como um dos melhores de todos os tempos.

Quatro vezes eleito o melhor jogador do mundo, Messi levantou muitos troféus pelo seu clube e se estabeleceu como um dos melhores jogadores de futebol da história, mas alguns acreditam que ele ainda precisa vencer a Copa do Mundo para ser considerado um gigante.

Outros pensam que ele já é, aos 26 anos -completa 27 durante o torneio, em 24 de junho.

Messi é inevitavelmente comparado a Diego Maradona, que foi a principal inspiração da nação na Copa do Mundo de 1986, no México, e vai viajar ao Brasil com muitas expectativas nas costas.

Muito vai depender de como ele vai lidar com a pressão e superar um fim de temporada na Espanha em que pareceu surpreendentemente indiferente.

No Barcelona, ele foi um jovem que subiu às equipes superiores, sempre muito elogiado, mas nunca deixou que o sucesso subisse à cabeça. Ele gostava de jogar bola, era em campo que melhor se expressava, e sua confiança nos gramados sempre contrastou com uma personalidade tímida.

Ele não se importava se havia milhões assistindo ao redor do mundo. Estava concentrado em desnortear os adversários com os seus truques.

Agora, mais perto dos 30 anos que dos 20, pai de um bebê, carrega a responsabilidade de ser o talismã do Barcelona e está em um clube cujos torcedores o veneram pelo que já conquistou.

Na albiceleste, a história é outra. Durante uma boa campanha classificatória, marcou 10 vezes, os argentinos o acolheram, mas Messi ainda precisa se equiparar a Maradona.

O ex-capitão e treinador da Argentina é um ídolo em seu país e muitos se identificam com o garoto que surgiu das classes baixas e restaurou o orgulho nacional, principalmente com dois gols que eliminaram a Inglaterra das quartas de final da Copa do México, em 1986.

Messi nunca terá essa conexão com os torcedores porque foi para a Espanha ainda jovem, depois que os clubes locais permitiram que ele escapasse por entre os seus dedos.

Foi a equipe catalã que acreditou no menino de 13 anos e pagou o tratamento hormonal para crescimento que ele precisava para alcançar seu potencial.

O técnico Alejandro Sabella construiu a equipe em torno de Messi mais do que qualquer um de seus antecessores e agora, no auge da sua carreira, esta pode ser a sua melhor chance de emular Maradona e trazer o título da Copa do Mundo para casa.

Uma Argentina ofensiva geralmente joga com Messi ao lado do amigo Sergio Aguero no ataque e o companheiro de Barça Javier Mascherano, controlando o meio-campo.

Messi espera estar 100 por cento no Brasil depois de um 2013 cheio de dificuldades por causa de uma série de lesões musculares.

Ele passou alguns meses afastado dos gramados antes de voltar em janeiro e isso pode funcionar a favor da Argentina, já que ele chega ao Mundial mais fresco que os outros jogadores.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below