8 de Maio de 2014 / às 16:28 / em 4 anos

Na Espanha, Diego Costa pode dar trabalho ao Brasil

Por Iain Rogers

MADRI, 8 Mai (Reuters) - Uma final entre o anfitrião Brasil e a Espanha não é um cenário improvável na Copa do Mundo, e Diego Costa pode ter um papel de destaque no embate de seu país adotivo com sua terra natal em 13 de julho.

O atacante nascido no Brasil pisou no calo de seus compatriotas quando aceitou, no ano passado, o convite para atuar pela Espanha, seleção campeã mundial e europeia.

O jogador de 25 anos, que começou a carreira em Portugal e se uniu ao Atlético de Madri ainda na adolescência em 2007, tornou-se um dos artilheiros mais prolíficos do esporte nas duas últimas temporadas, e será um reforço para uma seleção espanhola que jogou muitas vezes sem um atacante central tradicional.

Demorou algum tempo para Diego desabrochar, em parte por causa das lesões, e ele teve passagens nada marcantes por times espanhóis como Celta Vigo e Rayo Vallecano.

Alto, atlético e ótimo em jogadas aéreas, ele tem toque de bola e visão de jogo excelentes e dá trabalho aos zagueiros adversários, que têm dificuldades de lidar com o estilo vigoroso de Diego Costa, às vezes no limite do fair play.

O sucesso do Atlético de Madri nas duas últimas temporadas se deve em grande medida aos gols de Diego Costa, que preencheu o vazio deixado pela saída do atacante colombiano Radamel Falcao rumo ao Mônaco.

Ele teve vários desentendimentos com alguns de seus novos colegas de seleção, entre eles o zagueiro central Sérgio Ramos, o que levou a insinuações de que pode haver atritos dentro da Espanha por conta de sua escalação.

O técnico Vicente Del Bosque descartou esse rumores de imediato, e o clima era de harmonia quando Diego Costa estreou no amistoso em que a Espanha bateu a Itália por 1 x 0 em março.

“Essa é a menor das minhas preocupações”, afirmou Del Bosque em entrevista a um diário esportivo em fevereiro.

“Todos conhecem Diego Costa, e entre suas qualidades estão seu espírito combativo, sua capacidade de incomodar e não deixar ninguém relaxar, ser um tormento para as defesas.”

“Se tirarmos isso dele, tiramos grande parte de seu valor”.

Conhecido por sua habilidade para aparar arestas, Del Bosque disse que o estilo combativo de Diego no gramado é muito diferente de como ele se comporta fora do campo.

O técnico do Brasil, Luiz Felipe Scolari, disse que Diego Costa deu as costas para o sonho de milhões de brasileiros ao escolher defender a seleção espanhola. Mas Del Bosque espera que o jogador compense a aposta feita nele se marcar presença numa final, e o fracasso de seu país nativo poderia muito bem ser a glória da Espanha.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below