May 12, 2014 / 11:56 PM / 4 years ago

Boko Haram propõe trocar alunas sequestradas na Nigéria por prisioneiros

Por Lanre Ola

DUGURI Nigéria (Reuters) - O líder do grupo rebelde islâmico Boko Haram ofereceu a libertação das mais de 200 alunas sequestradas por seus combatentes no mês passado em troca de seus prisioneiros, de acordo com um vídeo publicado no YouTube nesta segunda-feira.

Cerca de 100 meninas usando véus e rezando são mostradas em um local não revelado em parte do vídeo de 17 minutos, no qual o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, fala.

Militantes do grupo, que luta por um Estado islâmico, atacaram uma escola secundária no vilarejo de Chibok, no nordeste da Nigéria, em 14 de abril e levaram 276 estudantes que faziam provas. Algumas conseguiram escapar, mas cerca de 200 continuam desaparecidas.

Uma autoridade do governo afirmou que “todas as opções” estão sendo cogitadas para libertar as alunas.

A Nigéria mobilizou duas divisões do Exército para buscar as meninas, e vários países, como Estados Unidos, Grã-Bretanha, Israel e França, ofereceram ajuda ou enviaram especialistas.

Autoridades nigerianas se reuniram com alguns destes na segunda e planejam novas conversas com as agências de defesa e segurança da nação do oeste africano, informou um comunicado do governo.

Em um trecho de 1min25 do vídeo, dezenas de garotas usando véus pretos e cinzas estão sentadas no chão cantando. Depois Shekau, usando uniforme militar e segurando um fuzil AK-47, dirige-se à câmera. Ele parece confiante e em certo momento até ri.

“Tudo que digo é que, se vocês querem que libertemos as garotas que sequestramos, aqueles que não aceitaram o Islã serão tratados como o Profeta (Maomé) tratou os infiéis, e elas continuarão conosco”, afirmou, segundo uma tradução de suas palavras, ditas em uma língua nigeriana.

“Não iremos libertá-las enquanto vocês detiverem nossos irmãos”, disse ele antes de nomear uma série de cidades do país. Não ficou claro se ele estava no mesmo local das meninas, embora a divulgação do vídeo pareça sinalizar uma disposição para negociar.

Mike Omeri, funcionário de alto escalão do Ministério da Informação, disse em coletiva de imprensa que o governo viu o vídeo.

“O governo da Nigéria está analisando todas as opções para libertar as garotas e reuni-las a seus pais”, declarou.

O governador do Estado de Borno, onde as alunas foram sequestradas, disse em um comunicado que o vídeo foi distribuído para famílias e escolas locais em uma tentativa de identificar as garotas exibidas.

CRÍTICAS

Autoridades de segurança disseram nesta segunda-feira que cinco militantes suspeitos de dois atentados com carros-bomba que mataram pelo menos 90 pessoas em 14 de abril e 1º de maio no mesmo subúrbio da capital, Abuja, foram presos. A Nigéria já deteve centenas de supostos militantes do Boko Haram.

O governo nigeriano tem sido criticado por sua reação aos sequestros, mas o presidente Goodluck Jonathan disse que a assistência internacional militar e de inteligência o deixaram otimista a respeito do resgate das alunas.

Uma fonte militar disse à Reuters que duas unidades estrangeiras de contraterrorismo já estão no local.

“Elas visitaram Chibok no domingo para uma investigação preliminar com nossas tropas e especialistas antes de começar para valer a missão de resgate”, declarou a fonte.

Jonathan irá participar de uma cúpula em Paris no sábado para discutir a segurança na região.

Reportagem adicional de Isaac Abrak, Felix Onuah e Camillus Eboh em Abuja e John Irish em Paris

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below