August 7, 2014 / 8:54 PM / 4 years ago

Rússia veta importação de alimentos do Ocidente em retaliação a sanções

MOSCOU/KIEV (Reuters) - A Rússia proibiu a importação da maioria dos alimentos vindos do Ocidente nesta quinta-feira em retaliação às sanções impostas por seu envolvimento na crise na Ucrânia, uma medida mais austera do que o esperado e que afasta os consumidores russos do comércio mundial em uma escala inédita desde os tempos soviéticos.

Funcionária arruma queijos em um supermercado em Moscou, na Rússia, nesta quinta-feira. 07/08/2014 REUTERS/Maxim Zmeyev

No leste ucraniano, uma equipe de resgate holandesa cancelou seu trabalho no local onde um avião comercial malaio foi abatido sob território rebelde no mês passado, alegando que a escalada nos combates nas proximidades tornou a localidade muito perigosa.

O secretário-geral da Organização para o Tratado do Atlântico Norte (Otan), em visita a Kiev para mostrar apoio à Ucrânia, pediu contenção à Rússia, que está a um passo da guerra com o vizinho. A aliança militar ocidental diz que Moscou reuniu tropas na fronteira em preparação a uma possível invasão terrestre.

O governo russo impôs uma suspensão de um ano às importações de carne, peixe, laticínios, frutas e verduras dos Estados Unidos, dos 28 países da União Europeia, do Canadá, da Austrália e da Noruega.

A Rússia se tornou de longe a maior consumidora de frutas e verduras da UE, a segunda maior compradora de frango dos EUA e grande consumidora de peixe, carne e laticínios.

As proibições não incluem itens alimentícios como grãos, óleos comestíveis, açúcar, café, chá e cacau. A Rússia gastou 25,5 bilhões de dólares no ano passado em importações das categorias afetadas, sendo 9,2 bilhões de dólares dos países atingidos pelos vetos.

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou a seu governo que adote medidas em retaliação a países ocidentais que impuseram sanções aos setores de defesa, petróleo e finanças devido ao apoio russo aos rebeldes separatistas do leste ucraniano.

Putin havia garantido que as ações não irão prejudicar os consumidores russos, o que leva a crer que ele pode excluir itens populares, mas os vetos anunciados pelo primeiro-ministro, Dmitry Medvedev, não mencionaram quaisquer exceções.

O ministro da Agricultura, Nikolai Fyodorov, admitiu que as medidas causarão um aumento de curto prazo na inflação, mas declarou não ver perigo no médio ou longo prazo. A Rússia compensará as importações com outros fornecedores, comprando carne do Brasil e queijo da Nova Zelândia.

A Comissão Executiva da UE disse se reservar o direito de retaliar as proibições russas.

Os alimentos representam uma fração pequena das importações russas do Ocidente, mas os vetos terão um impacto desproporcional em agricultores de setores específicos e em países produtores, e ainda nos consumidores russos, que encontrarão preços mais altos e escassez, enquanto o rublo perde valor e a inflação já cresce.

Reportagem adicional da Reuters Moscou, de Richard Balmforth, em Kiev; de Tom Miles, em Genebra; de Andrew Deutsch, em Amsterdã; de Anton Zverev e Dmitry Zhdannikov, em Moscou; de Maria Tsvetkova, em Donetsk; de Barbara Lewis, em Bruxelas; e de Isla Binnie, em Roma

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below