November 8, 2014 / 1:47 PM / in 4 years

Bloco africano pede que Burkina Faso não receba sanções internacionais

DACAR (Reuters) - O bloco do oeste africano ECOWAS pediu que a comunidade internacional não imponha sanções contra Burkina Faso depois de os militares terem assumido o controle de uma transição após a renúncia do presidente Blaise Compaore.    Em um encontro extraordinário na capital de Gana, Acra, na quinta-feira, o ECOWAS saudou comunicados emitidos pelo novo chefe de Estado, o tenente-coronel Isaac Zida, de que ele entregará o poder para um governo de transição em breve.    O ECOWAS, que pediu uma transição de um ano até eleições em novembro de 2015, nomeou o presidente senegalês, Macky Sall, como principal mediador com o governo de transição, de acordo com um comunicado emitido após o encontro.    Zida, comandante operacional da guarda presidencial, autoproclamou-se presidente no dia 1º de novembro, um dia depois de Compaore renunciar e fugir do país em meio a grandes protestos por causa de seus esforços para mudar a Constituição e buscar a reeleição em 2015, após 27 anos no poder.    O Conselho de Paz e Segurança da União Africana, que tem 54 nações e que impõe sanções por quebras no processo democrático, deu na segunda-feira aos militares duas semanas para devolverem o poder aos civis, ou enfrentariam sanções.    “Este encontro pede para que a comunidade internacional e parceiros não imponham sanções sobre Burkina Faso, por causa dos esforços em andamento para continuar apoiando o país nestes momentos delicados”, afirma o comunicado, publicado no site do ECOWAS.    Os EUA disseram na semana passada que não tinham decidido se a ação militar caracterizava um golpe, uma distinção que pode levar à suspensão automática da ajuda militar a um dos principais aliados do Ocidente contra os grupos islâmicos na região.    Bisa Williams, vice-secretária assistente do Escritório de Assuntos Africanos do Departamento de Estado norte-americano, disse após conversar com Zida em Ouagadougou, neste sábado, que Washington está confiando em suas promessas de implementar um governo civil de transição, que organizará eleições em pouco tempo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below