March 16, 2015 / 11:09 AM / 3 years ago

Ex-diretor da Petrobras Renato Duque volta a ser preso pela Lava Jato

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque voltou a ser preso pela Polícia Federal, nesta segunda-feira, em uma nova fase da operação Lava Jato, que investiga um esquema bilionário de corrupção na estatal.

Sede da Petrobras, no Rio de Janeiro. 16/12/2014 REUTERS/Sergio Moraes

Duque foi preso pela primeira vez em 14 de novembro junto com executivos de grandes empreiteiras do país, após uma série de denúncias de corrupção envolvendo grandes obras da Petrobras. Ele deixou a prisão em dezembro graças a um habeas corpus.

O ex-diretor da estatal foi preso como parte da 10ª fase da Lava Jato, “Que país é esse”, deflagrada nesta segunda-feira.

Cerca de 40 policiais federais cumprem 18 mandados judiciais nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, segundo a Polícia Federal (PF).

Ao todo, são dois mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão.

Os presos são investigados pela prática dos crimes de associação criminosa, uso de documento falso, corrupção passiva e corrupção ativa, além de fraude em processo licitatório e lavagem de dinheiro.

“Os presos serão trazidos para Curitiba/PR e permanecerão custodiados na Superintendência da Polícia Federal à disposição da Justiça Federal de Curitiba/PR”, disse a PF em nota.

O nome de Duque foi citado pelo ex-gerente-executivo da diretoria de Serviços da Petrobras Pedro Barusco, um dos principais operadores do esquema de corrupção na estatal, em depoimento na semana passada à CPI da Petrobras.

Barusco, que firmou um acordo de delação premiada com a Justiça, disse que o mecanismo de desvio de recursos envolvia empresas, Duque e o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

A operação Lava Jato investiga um escândalo de corrupção em que empreiteiras teriam formado cartel para participar das licitações de obras da Petrobras e pagariam propina a funcionários da estatal e operadores que lavariam dinheiro do esquema, repassando os valores de sobrepreço das licitações a políticos e partidos.

A prisão de Duque foi confirmada pela defesa, que não se manifestou imediatamente sobre como procederá nesta segunda-feira. Anteriormente, a defesa do ex-diretor afirmou que as acusações contra o seu cliente não tinham fundamento.

O Ministério Público Federal no Paraná informou, por meio de sua conta no Twitter, que “os cinco presos na atual fase da Lava Jato serão denunciados hoje pelo MPF”, e que “Renato Duque foi preso para garantir a ordem pública”, uma vez que as investigações mostraram transferências milionárias da Suíça para outros países.

Procuradores da República que atuam na Força-Tarefa da Lava Jato falarão com jornalistas nesta tarde sobre o oferecimento de nova denúncia, após um ano do início da operação.

Por Pedro Fonseca e Marta Nogueira

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below